Lula reúne aliados de partido de Kassab e diz que não antecipará ministros

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) se reuniu com parlamentares do PSD na tarde desta quinta-feira (6) e afirmou que não irá indicar os nomes de ministros de seu eventual governo antes do fim das eleições.

"É loucura alguém imaginar que você pode indicar um time antes. Primeiro, tenho que ganhar as eleições. E, quando ganhar, vou montar o governo não apenas com o meu partido ou meus aliados, tem gente de fora que vai participar", disse o petista.

"Sinceramente, quem quiser conhecer o meu ministério vai ter que esperar primeiro eu ganhar as eleições. A hora de montar o governo é como escalar uma seleção. Você vai escolher os melhores, aqueles que vão ganhar o jogo", continuou.

Lula afirmou que fica "feliz" com os apoios de economistas que recebeu recentemente e disse que eles sabem que ele é "a garantia do exercício democrático desse país". "E [eles sabem] que o meu adversário não é."

No encontro, parlamentares do PSD reafirmaram apoio à candidatura do petista. Participaram figuras como o prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes, e os senadores Otto Alencar, Carlos Fávaro e Alexandre Silveira, além do deputado Marcelo Ramos.

Otto Alencar diz ter conversado nesta quinta com o presidente do PSD, Gilberto Kassab, sobre a possibilidade de apoio formal do partido a Lula neste segundo turno. Kassab alegou, no entanto, que a ideia sofre resistência de parte do partido, como é o caso do governador Ratinho Jr. (PR).

Nesta quinta, Marcelo Ramos fez um apelo a Kassab. "O chamado que nós temos que fazer aqui é um chamado a todos que defendem a democracia. E esse chamado tem que chegar aos ouvidos do nosso presidente Gilberto Kassab, porque o lugar dele na história é aqui, junto conosco", disse.