Lula estuda ir a velório de Pelé, mas posse dificulta, diz futuro ministro da Secretaria de Comunicação

BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - O futuro ministro da Secretaria de Comunicação do governo, Paulo Pimenta, afirmou nesta quinta-feira (29) que o presidente diplomado Luiz Inácio Lula da Silva (PT) tentou visitar Pelé antes de sua morte e pediu informações sobre o seu velório, mas que será difícil comparecer à cerimônia.

Pelé, o Rei do futebol, morreu na tarde de quinta, após passar semanas internados no hospital Albert Einstein. O velório do maior jogador da história do futebol acontecerá em Santos, na segunda-feira (2).

"O presidente [diplomado] ficou muito sensibilizado [com a morte], há poucos dias ele tentou inclusive fazer uma visita ao Pelé", afirmou Pimenta.

"Lula fez questão de pedir informações sobre como será o velório, como vai funcionar, para ver a possibilidade de ele ir. A princípio, em função da programação da posse, o presidente não tem como se ausentar de Brasília", completou.

Lula também se pronunciou sobre a morte do Pelé. "Poucos brasileiros levaram o nome do nosso país tão longe feito ele. Por mais diferente do português que fosse o idioma, os estrangeiros dos quatros cantos do planeta logo davam um jeito de pronunciar a palavra mágica: 'Pelé'", disse ele, em mensagem publicada nas redes sociais.

O futuro presidente ainda afirmou que admirava o atleta e que tinha "paixão" ao vê-lo com a camisa da seleção brasileira.

"Confesso que tinha raiva do Pelé, porque ele sempre massacrava o meu Corinthians. Mas, antes de tudo, eu o admirava. E a raiva logo deu lugar à paixão de vê-lo jogar com a camisa 10 da Seleção Brasileira", declarou ainda o futuro presidente.

Diversas autoridades também se pronunciaram sobre a morte do Pelé, por exemplo o vice-presidente diplomado, Geraldo Alckmin (PSB), que inclusive é santista.

"Triste notícia, o falecimento do nosso querido rei Pelé, Edson Arantes do Nascimento. Meu time, o Santos, o 'peixe', teve o maior ataque de todos os tempos: Dorval, Mengálvio, Coutinho, Pelé e Pepe. Era uma seleção", disse Alckmin a jornalistas.

"Nosso carinho, nossas orações ao querido Pelé, campeão do mundo das copas de 58, 62 e 70, um atleta completo", declarou ainda o futuro vice-presidente.