Luizão e Igor Gomes podem sair de graça do São Paulo; relembre outros casos

Luizão foi revelado em Cotia (Foto: Rubens Chiri/São Paulo FC)


Igor Gomes e Luizão podem deixar o São Paulo de graça. No caso de Luizão, o zagueiro recebeu propostas da Inglaterra e deve assinar com o West Ham. Seu contrato termina no final deste ano. Já Igor Gomes, com contrato até março de 2023, recebeu nesta segunda-feira (28) mais uma proposta de renovação salarial com o Tricolor paulista, conforme adiantou o LANCE!.

Artilheiros da Copa do Mundo 2022: veja lista de jogadores que marcaram

Veja tabela da Copa do Mundo e simule os próximos jogos

Após a 29ª rodada do Campeonato Brasileiro, contra o Coritiba, Rogério Ceni já havia aberto o jogo e falado sobre a situação destes dois nomes - emendando também com o caso de Pablo Maia, com sondagens na Europa.


O técnico lamentou a possibilidade destas saídas não renderem dinheiro para o Tricolor. Conforme suas palavras, naquela ocasião, destacou que a intenção de Cotia, além de formar os atletas, era gerar receita em momentos mais complicados do clube.

- Encaro (as saídas) como uma coisa normal. Lamento a forma que saem. Era para o clube faturar um bom dinheiro com esses jogadores. O conceito de aproveitar Cotia é gerar receita para os momentos mais difíceis. O que mais lamentamos é um jogador jovem como Luizão, com contrato finalizando em janeiro, saindo livre - disse Rogério Ceni.

- O Igor, com contrato acabando em março, podendo sair livre. Lamentamos, porque é através dessa geração de recurso que se consegue montar novos times, contratações, pagar dívidas. É baseado nisso que se investe quase R$ 30 milhões por ano em Cotia - completou.

Esta não é a primeira vez que algo assim acontece no São Paulo. Neste ano, Toró, Marquinhos e Vitinho - todos revelados na base tricolor - deixaram o Morumbi ou de graça, ou por um valor abaixo do que era esperado.

​TORÓ

Toró tinha contrato até dezembro deste ano. Em julho, o Tricolor concluiu sua negociação para o Panathinaikos, da Grécia. O São Paulo conseguiu apenas R$ 7 milhões pelo jogador, para antecipar sua saída, e manter 25% dos direitos econômicos do atleta.

No mais, só poderá lucrar um valor maior se Toró for vendido para outro clube no futuro.

VITINHO
​O atacante de 21 anos foi um dos grandes destaques da Copa São Paulo de Futebol Júnior deste ano, sendo o artilheiro da equipe. Deixou o Tricolor paulista com apenas dois jogos pela equipe profissional - contra o Ituano e o Mirassol.

O jogador foi para o Atlético San Luis, do México, em maio, sem render nada para o São Paulo. Seu vínculo, por sua vez, se encerrava em junho.

A jovem promessa teve uma longa novela de renovação do seu contrato. Ainda neste início de temporada, o atleta recebeu duas propostas de clubes estrangeiros. O primeiro interessado pretendia deixar um pequeno valor, pensando em uma venda futura, mas sem desembolsar nada de forma antecipada, enquanto o segundo ofereceu 200 mil dólares (cerca de R$ 1 milhão na cotação atual).

MARQUINHOS
​Não saiu de graça, mas saiu por um valor muito abaixo do esperado. Marquinhos foi vendido ao Arsenal, na Inglaterra, por R$ 18,5 milhões. Mesmo com contrato até 2024, a cria de Cotia tinha um problema.

O vínculo de cinco anos foi assinado quando Marquinhos tinha apenas 16 anos. Porém, a Fifa restringe os contratos com menores de idade a somente três anos. Por este motivo, sua transferência foi aceita por um valor menor que o esperado. Havia o risco da rescisão ser feita sem gerar lucro algum para o Tricolor.