Luisa Stefani é 1ª brasileira nas semis de duplas femininas de um Grand Slam em 53 anos

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·2 minuto de leitura
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
*ARQUIVO* SÃO PAULO / SÃO PAULO / BRASIL - 12/02/20 - :00h - A tenista Luisa Stefani é atual 47ª do ranking mundial, a brasileira mais bem colocada. Ela treina nos EUA, mas está competindo no Brasil e essa semana está treinando em São Paulo ( Foto: Karime Xavier / Folhapress)
*ARQUIVO* SÃO PAULO / SÃO PAULO / BRASIL - 12/02/20 - :00h - A tenista Luisa Stefani é atual 47ª do ranking mundial, a brasileira mais bem colocada. Ela treina nos EUA, mas está competindo no Brasil e essa semana está treinando em São Paulo ( Foto: Karime Xavier / Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Luisa Stefani, 24, tornou-se a primeira brasileira a chegar a uma semifinal de Grand Slam na chave de duplas femininas em 53 anos.

Nesta quarta-feira (8), ela e a canadense Gabriela Dabrowski venceram as tchecas Maria Bouzkova e Lucie Hradecka, nas quartas de final do US Open, por 2 sets a 1 (6/4, 4/6 e 6/1).

O duelo teve um primeiro set equilibrado, mas com desfecho favorável à brasileira e à sua parceira. No segundo, as atletas da República Tcheca se recuperaram e foram dominantes.

Já no terceiro, Stefani e Dabrowski foram bastante superiores e definiram a partida com duas quebras de saque.

Uma brasileira não chegava às semifinais de um Grand Slam na chave feminina de duplas desde 1968, quando Maria Esther Bueno conquistou o título do US Open, ao lado da australiana Margaret Court —em 1982, Cláudia Monteiro foi vice nas duplas mistas ao lado de Cássio Motta.

Em busca de seu primeiro Slam, Stefani é a brasileira mais bem colocada no ranking mundial desde a criação da classificação, em 1975. Ela ocupa a 17ª posição em duplas e deve subir ainda mais quando acabar o evento em Nova York.

Desde a conquista da medalha de bronze nas Olimpíadas, ao lado da compatriota Laura Pigossi, a tenista vive grande momento no circuito.

Após os Jogos, em dupla com Dubrowski, Stefani chegou às finais do WTA 500 de San José, conquistou seu primeiro título de WTA 1000, em Montreal, e na sequência foi vice do WTA 1000 de Cincinnati.

BRASILEIROS CAMPEÕES DE GRAND SLAMS

Maria Esther Bueno (19)

US Open (simples – 1959, 1963, 1964 e 1966)

US Open (duplas – 1960, 1962, 1966 e 1968)

Wimbledon (simples – 1959, 1960 e 1964)

Wimbledon (duplas – 1958, 1960, 1963, 1965, 1966)

Australian Open (duplas – 1960)

Roland Garros (duplas – 1960)

Roland Garros (duplas mistas – 1960)

Bruno Soares (6)

US Open (duplas – 2016 e 2020)

US Open (duplas mistas – 2012 e 2014)

Australian Open (duplas – 2016)

Australian Open (duplas mistas – 2016)

Gustavo Kuerten (3)

Roland Garros (simples – 1997, 2000 e 2001)

Marcelo Melo (2)

Roland Garros (duplas – 2015)

Wimbledon (duplas - 2017)

Thomaz Koch

Roland Garros (duplas mistas – 1975)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos