Lucas Pinheiro e a preparação para enfrentar os campeões mundiais Mikey Musumeci e Paulo Miyao

·2 minuto de leitura


Atual campeão Pan-Americano de Jiu-Jitsu pela IBJJF, Lucas Pinheiro vem recebendo diversos convites para realizar superlutas contra grandes nomes da arte suave. Em busca de desafios na carreira, o faixa-preta da Atos Jiu-Jitsu aceitou os convites dos eventos “Who’s Number One” e do Fight To Win. No primeiro, que será realizado no próximo dia 28 de maio, ele entrará em ação contra o tricampeão mundial Mikey Musumeci. O combate será uma luta casada onde apenas a finalização dará a vitória. O manauara radicado em San Diego, na Califórnia, está empolgado com a oportunidade.

“Vai ser muito bom lutar com o Mikey. Ele é o atual campeão com e sem kimono, então uma vitória sobre ele representaria muito para mim. E já faz tempo também que ele não perde na categoria. Ele vem lutando muito e ganhando de muita gente boa. Então, vencendo ele, não tenho dúvidas que vai levantar muito mais o meu nome no esporte. A última vez que lutamos foi em 2016, então estava esperando muito essa oportunidade, ainda mais com essa regra onde só a finalização dá a vitória. Tenho certeza que na nossa luta terá muito ataque em busca da finalização. Eu estou animado e preparado para isso”, disse Lucas.

Após o duelo com Musumeci, Lucas Pinheiro vira a chave para encarar outro grande nome da arte suave. No dia 11 de junho, pelo F2W, ele terá pela frente o também campeão mundial Paulo Miyao.

“Será uma luta de kimono e também com a regra onde só a finalização dá a vitória. Acredito que será uma luta muito disputada, especialmente por ele ser um cara muito estratégico. Eu já sou um cara mais explosivo. Mas pelo meu jogo ser mais estilo da regra do F2W, eu acredito que será muito mais vantajoso lutar com ele”, explicou o faixa-preta.

Os irmãos Miyao são velhos conhecidos de Lucas. No passado, eles treinaram juntos em São Paulo, quando faziam parte da equipe Cícero Costha. Além disso, Lucas já enfrentou João, irmão gêmeo de Paulo, em algumas oportunidades.

“Eu treinei com eles no passado. Já lutei algumas vezes com o João, duas vezes de kimono e duas sem kimono, e na última eu venci em uma superluta que valia o cinturão do F2W. Agora essa luta com o Paulo será de kimono. Vai ser uma luta bem diferente com o Paulo. Ele joga mais solto, apesar de ser estratégico. Mas eu não acredito que, pelas regras do F2W, ele vá soltar muito o jogo dele. Mas vou pra finalizar, até porque só assim poderei sair com a vitória”, concluiu.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos