Lucas diz que Flu talvez não aguentasse prorrogação na final

O Fluminense venceu a Taça Guanabara no domingo, diante do Flamengo, num clássico de muitos gols. Durante o tempo normal, as equipes empataram por 3 a 3, mas o Tricolor foi superior na decisão dos pênaltis e assinalou quatro, contra três do time da Gávea. O lateral Lucas foi o responsável pelo empate do Flu aos 40 minutos do segundo tempo e, em entrevista à ESPN Brasil, afirmou que, se tivesse prorrogação, o time talvez não fosse campeão. Além disso, o jogador criticou o regulamento do Campeonato Carioca.

Leia mais: 

Após vencer Taça Guanabara, Fluminense mira mais títulos na temporada

Fluminense aproveita festa do título para anunciar renovação de Scarpa 

“Não poderia ter prorrogação, que a gente talvez não conseguisse. Fomos no limite. Foi desgastante, pois passamos um dia inteiro viajando. Saímos do hotel era meio-dia, para retornar ao Rio, aí chegamos só no outro dia às 7h (de Brasília). Até chegar em casa, houve um desgaste, mas sabíamos dele. Acho que os jogadores foram no limite, dentro dos 90 e poucos minutos e depois, nos pênaltis, tivemos a capacidade e firmeza para vencer”, disse.

Ser campeão da Taça Guanabara não garante o Flu na decisão do Carioca. Com isso, o defensor criticou a regulamentação do torneio. “Achei desnecessária a mudança da fórmula do regulamento. É estranho ser campeão de um turno e, se vencer o outro turno, ainda não é campeão. Somos campeões agora e temos que pensar aqui em jogar. Eu adoro o futebol do Rio. Adoro jogar o Carioca, acho que é um campeonato com muita visibilidade e é muito charmoso”, avaliou.

Depois de muita polêmica, o clássico foi disputado com torcidas mistas. Diante do grande espetáculo que os torcedores do Flamengo e do Fluminense proporcionaram ao futebol, num jogo em que a paz esteve presente, o lateral também destacou a grandeza do torneio estadual no Rio. “Em cima disso, tem as torcidas, como é legal você ver as duas torcidas no estádio. Isso é legal no Carioca. Não são todos os estados que têm isso. E aqui no Rio, temos essa capacidade (…) Espero que acabe a violência e espero que não mude. Que continuem indo famílias ao estádio para acompanhar este espetáculo, que é bacana de ver”, ressaltou.

Autor do gol que deu o empate ao Fluminense e a possibilidade de disputar o título da competição nos pênaltis, Lucas ressaltou a emoção de marcar em uma final de campeonato. “Não tem algo que explica a emoção de fazer um gol em duas finais de Guanabara. Eu pude fazer um pelo Botafogo, no passado, e agora pelo Fluminense”, completou.