Luan pode virar reserva no Grêmio por causa do extracampo

Yahoo Esportes
<em>Luan em ação contra o Libertad; meia-atacante não fez gol na Libertadores (Roberto Vinicius/Gazeta Press)</em>
Luan em ação contra o Libertad; meia-atacante não fez gol na Libertadores (Roberto Vinicius/Gazeta Press)

Renato Gaúcho está perdendo a paciência com Luan. E o motivo nem tem a ver com o futebol apenas razoável do meia-atacante em 2019, mas com seu comportamento fora das quatro linhas. O Blog apurou com um dirigente do Grêmio que Renato Gaúcho cogita transformar Luan em reserva quando Diego Tardelli estiver 100% fisicamente.

A comissão técnica tricolor cobra, há tempos, que Luan diminua o número de saídas à noite. Mas a informação é de que os apelos não funcionaram e o o melhor jogador da Libertadores em 2017 continua aproveitando os encantos da capital gaúcha com muita frequência.

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

A possibilidade de afastar Luan ainda não foi cogitada. Renato Gaúcho tem trabalhado com a ideia de colocá-lo no banco de reservas, assim que Tardelli tiver capacidade para jogar 90 minutos. Inclusive, a estreia de Tardelli pelo Tricolor foi como meia central. Na derrota para o Libertad, na terça-feira, ele entrou no lugar de Marinho, depois que o atacante se machucou.

A fama de baladeiro de Luan já havia lhe prejudicado com Tite na seleção brasileira. Mesmo diante do grande momento de 2017, Luan ficou de fora da Copa do Mundo da Rússia. Há quem garanta que Tite consultou velhos conhecidos de Grêmio e ouviu que o atacante estava abusando extracampo.

Coincidência ou não, desde o ano passado, Luan tem tido enorme dificuldade em ser protagonista. Ele terminou 2018 com 40 jogos e 11 gols, contra 52 partidas e 18 gols da temporada anterior. Já em 2019, o camisa 7 marcou três gols em seis jogos, todos no Gauchão – passou em branco nos duelos contra Rosário Central e Libertad, pela Libertadores.

Vale lembrar que o Grêmio tentou envolver Luan em várias negociações em dezembro passado. O atacante acabou oferecido para Cruzeiro, Flamengo, Palmeiras e São Paulo. Mas não existiu acordo.

Veja mais de Jorge Nicola no Yahoo Esportes

Leia também