Luís Castro explica mudanças táticas no Botafogo e comenta falha de Diego Loureiro: 'Família suporta os erros'

·3 min de leitura
Luís Castro comentou pênalti e gol do Botafogo que foram anulados (Vítor Silva/Botafogo FR)


Neste domingo, o Alvinegro completou mais uma partida sem perder fora de casa. Em jogo válido pela terceira rodada do Brasileirão, o Botafogo empatou com o Atlético-GO por 1 a 1, com um gol contra no último minuto da partida. Após os 90 minutos, Luís Castro analisou o desempenho do elenco e explicou as mudanças que fez no esquema tático durante o segundo tempo. Ele ainda comentou sensação de ter um gol e um pênalti anulados, mas afirmou que não se pronunciaria a respeito de decisões da arbitragem.

- Controlamos o jogo na primeira parte e na segunda parte. A primeira foi mais estável dentro daquilo que era o jogo, e na segunda tivemos que nos arriscar muito. Tivemos que jogar com o Chay enquanto volante, o Nascimento como 10, o Gustavo e o Victor abertos, com a envolvência do Saravia e do Daniel. O Patrick, embora volante, para chegar na frente e fez várias finalizações. A equipe estava toda voltada para a frente. O que o Botafogo trouxe para Goiânia foi a vontade de levar três pontos. Não sendo possível, a equipe mostrou que cria na realidade. É bizarro que a gente só conseguiu aos 97 minutos - disse.

O técnico alvinegro também falou sobre a falha de Diego Loureiro, que culminou no gol de Marlon Freitas. Luís revelou que encorajou o goleiro em conversa depois da partida, e disse que o clube irá apoiá-lo.

- O erro não tem nada a ver com o Gatito, ele não está nessa conversa. Não devo. O que posso falar é que disse ao jogador que, quando um atacante falha em um gol, as pessoas perdoam. Quando um meia erra um passe, perdoam. Quando um zagueiro falha também se não resultar em gol. Quando é com o goleiro infelizmente não perdoam. É um homem sozinho naquele momento do erro, mas na nossa equipe não é um homem só nunca. A nossa equipe é uma família e como tal, apoia nos bons e fundamentalmente nos maus momentos. A família suporta os erros - disse.

PÊNALTI E GOL ANULADO
- Houve um pênalti que não existiu mas que foi marcado, isso gera a emoção do "podemos empatar". Depois veio a notícia que não era e temos que aceitar. Aí veio o gol, e novamente a emoção, para depois sair a notícia de que não era válido. Para quem sofreu como nós e a nossa torcida, levar pontos aqui... Não vou falar que estou muito satisfeito, mas sim pela forma como conseguimos, com empenho e dedicação.

ELENCO E TORCIDA
- Estou conhecendo os jogadores ainda, é verdade, mas eles também estão me conhecendo. Tenho que dar confiança a eles, mas precisa ser recíproco. É por isso que prezo, para que eles desempenhem as funções que precisarem no máximo de suas capacidades. Não posso esconder e acho que todos os botafoguenses devem estar orgulhosos da equipe, por tudo que correram. Os dados do GPS são altíssimos, é uma coisa tremenda o que meus jogadores fizeram hoje. Parabéns a eles e à torcida, que não tem GPS mas estava dedicada no jogo.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos