Luís Castro diz que time do Botafogo cumpriu 'com perfeição' sua missão no duelo com o Santos

Luís Castro publicou um texto para os alvinegros nas redes sociais (Vitor Silva / Botafogo)


O técnico Luís Castro expôs sua alegria com o desempenho do Botafogo na vitória por 3 a 0 sobre o Santos, pela 37ª rodada do Brasileirão. Em entrevista coletiva nesta quinta-feira (10), o comandante definiu a partida como "uma semifinal" e mostrou otimismo com a vaga do Alvinegro na Libertadores de 2023.

- Sabíamos que o jogo era uma semifinal, que para ir à final teríamos que ganhar o jogo hoje. Felizmente, a equipe entrou bem no jogo, fez um gol cedo e já tinha tido oportunidade antes. Foi um time montado para atacar a baliza do adversário, com as devidas cautelas defensivas - e acrescentou:

- Cada um sabia da missão que deveria cumprir, e cumpriram na sua perfeição. Tivemos aqui e ali alguma falha ou outra, mas isso é próprio do jogo.

O comandante alvinegro, que "regeu" a torcida ao final da partida, falou sobre o fato do Alvinegro só depender de suas próprias forças na última rodada do Brasileirão.

+ Botafogo pode garantir vaga direta na fase de grupos da Liberta

- Eu olhava sempre para cima, mas com retrovisor para ver o que vinha abaixo. No futebol temos que desconfiar de tudo. Já são muitos anos ao serviço dele e já nos ensinou muita coisa. O grupo tem três valores dentro dele que não pode abdicar: coragem, respeito e determinação. Tudo isso teve sempre muito presente no grupo - disse.

Em seguida, agradeceu a John Textor por acreditar no seu trabalho.

- Olhava para cima, trabalhávamos muito. Lembro de dois momentos em que tivemos quatro derrotas seguidas. Foram momentos difíceis porque a torcida queria nos matar. Parabéns à administração e ao John Textor por apoiar durante toda temporada quem eles escolheram para ser treinador - e apontou:

- Quando vejo um colega meu saindo do clube, alguém que tenha sido escolhido por ter um determinado perfil, é sempre um momento dramático para o futebol. E hoje eu estar no cargo depois de ter atravessado momentos difíceis, foi um exemplo que o John Textor deu a todo o futebol brasileiro. Se olharmos para as equipes que caíram, eles trocaram tanto de treinador, mas o que adiantou? A solução é essa? Querem essas soluções? Não aguentam a pressão e mandam o treinador embora? Só o treinador tem que aguentar a pressão? A administração também tem que aguentar a pressão - completou.

Castro reforçou o quanto acredita nos jogadores alvinegros.

- Eu disse a eles antes e depois do jogo que para mim é um orgulho enorme, um prazer enorme treinar meus jogadores. Falei: “Aconteça o que acontecer hoje, terão sempre um treinador orgulhoso de vocês. Vocês sempre foram muito dignos durante toda a temporada, debaixo de muito trabalho nunca viraram a cara, sempre deram a cara, coragem.” A fama se vai, o prestígio fica - declarou.

O treinador frisou a confiança no momento da equipe.

- Nós estamos fortes. Nesse momento, quem não gosta tanto de nós vai falar sobre vitórias contra o Avaí e Goiás, não que ganhamos do Atlético-MG fora, do Flamengo fora. Nós jogamos em um primeiro momento para ficar na Série A. Aconteça o que acontecer no domingo, os meus jogadores são fantásticos, honestos e fizeram uma campanha ótima - afirmou.

O Botafogo encara o Athletico-PR no domingo na Arena da Baixada às 16h.