Lowe deixa Mercedes e passa a ser diretor técnico e acionista da Williams

Por Alan Baldwin
Novo diretor técnico da Williams, Paddy Lowe, durante sessão de treinos para o Grande Prêmio do Azerbaijão 17/06/2016 REUTERS/Maxim Shemetov

Por Alan Baldwin

LONDRES (Reuters) - Paddy Lowe deixou a campeã mundial de Fórmula 1 Mercedes e assumiu, com efeito imediato, o cargo de diretor técnico da Williams, equipe da qual também passou a ser um dos acionistas, anunciou a escuderia nesta quinta-feira.

A Williams não informou o tamanho da participação de Lowe nem de quem ele a adquiriu, mas os detalhes da operação devem ser divulgados em uma data futura.

O britânico, que iniciou sua carreira na Fórmula 1 pela Williams em 1987, também assume um cargo no Conselho e vai administrar a equipe ao lado da chefe de equipe, Claire Williams, e do presidente-executivo Mike O'Driscoll.

Na Mercedes Lowe exerceu um papel-chave nas conquistas dos últimos três títulos mundiais de pilotos e construtores. Ele também já foi campeão na McLaren e na própria Williams.

A Williams conta atualmente com os pilotos Lance Stroll, um jovem canadense de 18 anos, e Felipe Massa, que desistiu de se aposentar da categoria depois que o finlandês Valtteri Bottas trocou a Williams pela Mercedes para substituir o atual campeão Nico Rosberg, que se aposentou.

A temporada da F1 começa na próxima semana, na Austrália.