Lotados, ao menos 15 hospitais privados de SP pedem leitos de UTI do SUS

Redação Notícias
·3 minuto de leitura
A patient with symptoms related to COVID-19 is brought to a field hospital by workers in full protective gear in Leblon, Rio de Janeiro, Brazil, Thursday, June 4, 2020. (AP Photo/Silvia Izquierdo)
Em entrevista à CBN, nesta terça-feira (16), o secretário afirmou que estes hospitais da rede privada solicitaram 30 leitos ao estado porque estão sem vagas e há uma fila de pacientes aguardando leitos (Foto: AP Photo/Silvia Izquierdo)

Ao menos 15 hospitais particulares da cidade de São Paulo solicitaram ao estado o empréstimo de leitos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva) do SUS (Sistema Único de Saúde) para tratar pacientes de Covid-19, segundo o secretário municipal de Saúde de São Paulo, Edson Aparecido.

Em entrevista à CBN, nesta terça-feira (16), o secretário afirmou que estes hospitais da rede privada solicitaram 30 leitos ao estado porque estão sem vagas e há uma fila de pacientes aguardando leitos.

Leia também:

"Nos últimos 4 dias, tivemos solicitação de 30 leitos de UTI e enfermaria para atender um conjunto de hospitais privados, de convênio, que estão com seus equipamentos completamente lotados e esgotados", disse Aparecido.

Segundo o secretário, as unidades particulares estão operando em capacidade máxima, todas com mais de 90% de ocupação nos leitos voltados para pessoas contaminadas com o novo coronavírus. 

Na terça-feira passada (9), no entanto, Edson Aparecido chegou a se reunir com gestores de hospitais particulares para pedir ajuda no atendimento de pessoas internadas que não estão com Covid-19. De acordo com o G1, a ideia era liberar leitos de UTI da rede municipal para receber futuros pacientes contaminados pelo coronavírus. 

"É uma corrida contra o tempo. Estamos atrás de leito para aguentar os próximos 15 dias, que serão de muita pressão. Transferindo pacientes que não estão com Covid-19 para a rede privada, a gente libera leitos de UTI para Covid-19", disse o secretário na ocasião.

De acordo com o G1, os hospitais que solicitaram vagas são:

  • - Avi Ccena

  • - Albert Sabin

  • - Nove de Julho

  • - Edmundo Vasconcelos

  • - Lefort

  • - Vida's

  • - Nossa Senhora de Lourdes

  • - Igesp

  • - São Camilo

  • - Maternidade São Miguel

  • - Nipo Brasileiro

  • - IAVC

  • - Santa Paula

  • - Santa Virgínia

  • - São Cristovão

Recorde de mortes em SP

De acordo com dados da Saúde estadual, o salto da doença no estado é de 28,2% de uma semana para a outra. A taxa de ocupação hoje de UTIs no estado é de 89%. Na região metropolitana, ela chega a 90%.

O estado de São Paulo ultrapassou as 600 mortes diárias pela Covid-19, doença causada pelo coronavírus, batendo um novo recorde. Nas últimas 24 horas, foram registrados 679 óbitos em decorrência do vírus.

Para se ter ideia do tamanho descontrole da doença, mesmo com o governo João Doria (PSDB) adotando medidas extremas a fim de frear o vírus, as mortes por coronavírus em São Paulo já equivalem aos óbitos do Brasil no ano passado.

Em 20 de agosto de 2020, o país registrou 679 mortes. Ou seja, nas últimas 24 horas em São Paulo, o número de pessoas mortas pela Covid-19 é equivalente ao de todo o país no ano passado.

Desde o início da pandemia de coronavírus, há um ano, ao menos 72.264 pessoas morreram por Covid-19 sem ter acesso a um leito de UTI mesmo tendo sido internadas. Esse número representa mais 25% dos quase 280 mil mortos deixados pela doença no país até agora.