Sherpas nepaleses reivindicam certificados gratuitos de ascensão ao Everest

Katmandu, 3 mai (EFE).- A Associação de Escaladores do Everest, que reúne cerca de 2 mil sherpas nepaleses, exigiu ao governo do Nepal que ofereça o certificado de ascensão à montanha mais alta do mundo aos guias do Himalaia sem que estes tenham que pagar US$ 11 mil em taxas, como acontecia até 2015.

"Desde 2015, o Departamento de Turismo apresentou uma política pela qual aqueles que não pagarem a taxa não obterão o certificado de ascensão", um título que os sherpas obtinham antes dessa data de forma gratuita, disse nesta quarta-feira à Agência Efe a tesoureira desta associação, Pema Diki Sherpa.

Desde 2015, os sherpas têm que pagar às autoridades nepaleses uma taxa para receber o documento que credencia os que conseguem chegar ao cume do Everest, assim como os montanhistas que eles acompanham no trajeto rumo ao "topo do mundo".

A decisão tomada pelas autoridades há dois anos afeta até agora apenas os guia que fizeram cume no ano passado, já que em 2015 as expedições foram paralisadas devido ao terremoto que sacudiu o país e à avalanche mortal que este provocou no Everest.

Em um evento realizado no acampamento base, a 2.860 metros de altitude, a tesoureira da Associação pediu ao Executivo nepalês "que discuta o assunto imediatamente".

"Não há dúvida de que os montanhistas que chegarem ao cume deveriam obter seus certificados", reconheceu à Efe um porta-voz do escritório de informação do Departamento de Turismo do Nepal, Durga Datta Dhakal.

O porta-voz acrescentou que o governo do Nepal tomará uma decisão "com rapidez" para conceder os certificados aos sherpas, uma resolução que também afetará os guias que subiram o Everest no ano passado e não puderam obter o documento.

Além da taxa de US$ 11 mil para a emissão do certificado, os montanhistas que visitam o Himalaia têm que pagar às autoridades nepalesas US$ 730 para escalar na cordilheira nepalesa.

Os sherpas e transportadores de material, por sua vez, não têm que pagar esta última taxa, mas sim a requerida para receber o certificado de ascensão.

Neste ano, 367 montanhistas solicitaram permissão às autoridades nepalesas para tentarem chegar ao cume do Everest, segundo fontes oficiais, e está previsto que cerca de 730 sherpas os acompanhem em sua tentativa. EFE