'Lobo de Wall Street' prevê que bitcoin vá atingir U$ 100 mil

Marcus Couto
·2 minuto de leitura
Jordan Belfort, o 'Lobo de Wall Street'. (Foto: Evan Agostini/Invision/AP, File)
Jordan Belfort, o 'Lobo de Wall Street'. (Foto: Evan Agostini/Invision/AP, File)
  • O investidor Jordan Belfort mudou sua posição em relação aos bitcoins.

  • Agora, Belfort acredita que as criptomoedas são um ativo promissor, que deve valorizar.

  • O ‘Lobo de Wall Street’ estima que bitcoins cheguem a US$ 100 mil.

O famoso investidor americano Jordan Belfort, mais conhecido pelo apelido “O Lobo de Wall Street” por conta de suas estratégias predatórias que lhe renderam dinheiro, fama e a cadeia, mudou de opinião sobre o bitcoin.

Leia também:

Antes, Belfort acreditava que as criptomoedas não tinham um futuro. Agora, ele aposta em uma valorização radical.

Segundo ele, os bitcoins devem valorizar até pelo menos US$ 100 mil, com o ingresso de investidores institucionais no mercado. As informações são do site Coindesk.

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 min e receba todos os seus emails em 1 só lugar

Siga o Yahoo Finanças no Google News

Belfort ficou tão famoso que sua história rendeu até filme: “O Lobo de Wall Street”, onde sua personagem é vivida pelo ator Leonardo DiCaprio.

Bitcoin

O bitcoin é a mais famosa e valiosa criptomoeda do mundo atualmente. Começou a ser negociada publicamente em 2010, quando custava centavos de dólar, e desde então vivenciou uma vertiginosa valorização.

Até 2020, seu preço flutuava em torno dos R$ 10 mil, e chegou a cerca de R$ 3 mil no ano passado.

Mas, a partir da virada do ano, o ativo viu seu preço subir constantemente, e agora é negociado a quase R$ 60 mil, depois do “embarque” de grandes empresas, como a Tesla de Elon Musk, e de outros participantes institucionais do mercado.

Criptomoedas

As criptomoedas são uma classe de ativos digitais, baseados na blockchain – uma espécie de “livro de registros” digital. Na blockchain, é possível registrar de forma transparente a entrada de novos bitcoins no mercado (após serem “minerados”) e também transações entre diferentes carteiras.

Assine agora a newsletter Yahoo em 3 Minutos

Siga o Yahoo Finanças no Instagram, Facebook, Twitter e YouTube