Livro relembra tristeza e redenção do Santos até o título em 2002

Em maio de 2001, o Santos sofreu uma das derrotas mais traumáticas de sua história. Ao levar um gol do Corinthians a sete segundos do fim da semifinal do Campeonato Paulista, a equipe perdeu a chance de ser campeã estadual e continuou no jejum de títulos.

Em dezembro de 2002, outro time santista, mais barato, inexperiente e criado quase pelo acaso, desafiou a lógica e conquistou o Brasileirão, encerrando uma escrita de 18 anos sem troféus de expressão.

Os 19 meses entre a decepção e a glória são o pano de fundo do livro “O time que nunca seria campeão”, de Alex Sabino. Como jornalista, ele acompanhou os bastidores do clube neste período e escreve sobre os jogadores, torcedores, dirigentes e jornalistas que rondavam a Vila Belmiro neste período.

Com a narrativa em primeira pessoa, o autor se coloca como personagem ativo na história e conta bastidores das equipes do Santos no período, assim como mostra o que pensavam os envolvidos no clube enquanto o clube saía do trauma para um dos mais improváveis títulos da história do futebol brasileiro.

“Sem fazer comparação, a inspiração para foi ‘Febre de Bola’. Tentei retratar com humor como foram aqueles momentos de suplício e alegria. Procurei mostrar para torcedores do Santos e de outras equipes que jornalistas são, no fundo, apenas fãs de futebol. Como todos os outros”, explica o autor.

“O time que não seria campeão” é uma publicação 100% independente e financiada por Alex Sabino. Ela não está disponível em livrarias. Apenas pela Internet.

O livro tem uma versão eletrônica que está à venda pela loja brasileira da Amazon. Há também a versão física à venda pelo Mercado Livre.