Livre no mercado, Thiago 'Pitbull' condiciona continuidade no MMA à proposta financeira vantajosa

Após fazer sua última luta no contrato com o UFC em dezembro de 2019, Thiago ‘Pitbull’ está livre no mercado para negociar com outra organização. E, apesar de admitir ter conversas abertas com o Bellator e o PFL, o veterano – que compete profissionalmente há quase duas décadas – revelou que só continuará na ativa se as propostas forem vantajosas financeiramente.

Os vários anos sendo pago como lutador de destaque do Ultimate, além do grande número de lutas realizadas no octógono mais famoso do planeta, deram ao brasileiro a estabilidade financeira para decidir com tranquilidade seus próximos passos. Ao site ‘MMA Junkie’, Thiago contou que, caso não receba uma proposta satisfatória de outra organização, já possui planos para a vida pós-aposentadoria.

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

“Dinheiro. O dinheiro tem que ser certo (para continuar a lutar). Eu estava ganhando uma grana muito boa no UFC. Tenho recebido seis dígitos no UFC desde 2008. Então, financeiramente, eu não preciso mais lutar. Quero lutar porque amo o que eu faço. Acabei de completar 36 anos, e fui nocauteado na minha última luta. Mas sinto que ainda tenho muita luta dentro de mim”, declarou ‘Pitbull’, antes de comentar sobre seus planos caso se aposente do MMA.

“Se o dinheiro não fizer sentido, então fico feliz em me afastar. Tenho muita coisa planejada já. Sou um dos treinadores na American Top Team, estou abrindo minha própria academia da American Top Team com o Wilson Gouveia, que foi meu companheiro de time desde que eu cheguei aqui (nos EUA) 18 anos atrás. Também estou no processo para ser contratado pela polícia, que foi minha primeira paixão antes do MMA. Estou em negociações com o PFL, estou em negociações com o Bellator, e estou apenas esperando para ver os números finais. Se os números finais fizerem sentido, então vou competir esse ano. Se não, vou seguir para o próximo capítulo”, explicou o cearense.

Caso realmente escolha se aposentar do esporte, Thiago deixará um bom legado. Além de consolidar seu nome como um atleta relevante no Ultimate durante anos, o brasileiro chegou a disputar o cinturão dos meio-médios (77 kg) em julho de 2009, mas acabou superado pelo então campeão Georges St-Pierre, um dos maiores lutadores de MMA da história, indiscutivelmente.

“Eu deixei o Brasil aos 19 anos de idade para começar uma carreira nas lutas e conquistei muito mais do que eu sonhei. Nunca imaginei estar falando em inglês com você, viver em uma bonita casa na América, estar casado, isso e aquilo. Então, eu tenho vivido meu sonho desde que eu tinha 19 anos. A única coisa que eu não fui capaz de conquistar foi me tornar um campeão. Mas quando eu estava lutando, estava competindo contra o melhor de todos os tempos – Georges St-Pierre. Era difícil vencer aquele cara”, relembrou Thiago, antes de completar.

“Mas foi divertido. (…) Então, se esse é o fim, estou feliz com isso. (…) Tem muito mais vida fora do MMA, mas estou animado por ter sido capaz de fazer o que fiz, e vivido a vida que vivi até então”, concluiu.

Com 38 combates no MMA profissional, Thiago ‘Pitbull’ possui 23 vitórias e 15 derrotas. Em suas últimas dez lutas no UFC, o brasileiro acumulou quatro triunfos e seis reveses.

Leia também