Liverpool não teve, contra o Monterrey, intensidade que virou sua marca registrada

Equipe de Jurgen Klopp teve, na semifinal do Mundial de Clubes, um dos piores registros de roubadas de bola nesta temporada
Equipe de Jurgen Klopp teve, na semifinal do Mundial de Clubes, um dos piores registros de roubadas de bola nesta temporada

Você já ouviu falar na palavra “gegenpressing”? É uma expressão alemã que se refere ao estilo de jogo em que os jogadores fazem uma pressão dura no adversário que tem a bola, aumentando as chances de erro e consequente recuperação da posse para chegar ao gol de forma mais rápida, aumentando a possibilidade de estufar as redes.

É como se fosse um contra-ataque do contra-ataque.

Vários treinadores usam e já usaram o modelo “gegenpressing” de futebol. Nomes como Guardiola, Mauricio Pochettino e Marcelo Bielsa, por exemplo. Mas, até pela expressão germânica, nenhum técnico é tão associado a este tipo de jogo, que embora não seja novo se encaixa perfeitamente no ritmo cada vez mais acelerado do esporte, quanto Jurgen Klopp.

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

Basta dizer que o Liverpool treinado pelo alemão é um dos times que mais consegue roubar a bola dos adversários, um trabalho que começa logo no ataque, com Mané, Firmino e Salah. Na atual temporada, considerando os principais times da Europa os Reds são os que mais contabilizaram desarmes até aqui: foram 472, de acordo com a Opta Sports.

Nesta quarta-feira (18), na suada vitória por 2 a 1 sobre o Monterrey, que garantiu o Liverpool na final do Mundial de Clubes, onde irá enfrentar o Flamengo, a equipe de Jurgen Klopp não fez um grande jogo. E o fato de não ter conseguido aplicar uma pressão intensa nos mexicanos ajuda um pouco a explicar a história do jogo.

Ainda que tenham entrado em campo sem o máximo de sua força, mesmo levando em conta os desfalques, os Reds tiveram um dos piores números de desarmes na atual temporada: foram apenas oito, de acordo com a estatística da Opta, melhor apenas na comparação com a vitória sobre o Southampton, na segunda rodada da Premier League (7), ainda quando o Liverpool engrenava no início de campanha.

Não é a única explicação para a dificuldade do Liverpool contra o Monterrey, mas é um ponto importante: os atuais campeões europeus não conseguiram jogar como fazem em seus melhores momentos.

Leia também