Liverpool é colocado à venda em comunicado dos proprietários

FSG assumiu o Liverpool em outubro de 2010, comprando o clube dos proprietários americanos George Gillett Jr e Tom Hicks. Foto: Robbie Jay Barratt - AMA/Getty Images
FSG assumiu o Liverpool em outubro de 2010, comprando o clube dos proprietários americanos George Gillett Jr e Tom Hicks. Foto: Robbie Jay Barratt - AMA/Getty Images

Os proprietários do Liverpool, Fenway Sports Group (FSG), colocaram o clube da Premier League à venda. A informação foi dada pelo portal The Athletic que assegurou que os proprietários montaram uma apresentação completa para os interessados.

Eles teriam contratado o Goldman Sachs e o Morgan Stanley para ajudar no processo de venda do clube. Embora esteja chamando ofertas, não está claro o nível de interesse e se é provável que um acordo seja feito.

Leia também:

Uma declaração do Fenway Sports Group ao The Athletic dizia: “Houve uma série de mudanças recentes de propriedade e rumores de mudanças de propriedade nos clubes EPL e, inevitavelmente, somos questionados regularmente sobre a propriedade do Fenway Sports Group em Liverpool”.

“A FSG tem recebido frequentemente manifestações de interesse de terceiros que procuram tornar-se acionistas em Liverpool”, seguiu a empresa que administra o time da terra dos Beatles.

“A FSG continua totalmente comprometida com o sucesso do Liverpool, dentro e fora do campo”, finalizou.

A FSG é de propriedade principalmente de John W. Henry, que foi um dos dois fundadores ao lado do presidente Tom Werner. O grupo vendeu uma participação de 11% para a RedBird Capital Partners no ano passado por US$ 750 milhões.

A empresa assumiu o Liverpool em outubro de 2010, comprando o clube dos controversos proprietários americanos George Gillett Jr e Tom Hicks. Eles transformaram o clube durante esse tempo, trazendo Jurgen Klopp, vencendo sua primeira Premier League, além de vários outros títulos.

Eles também transformaram Anfield com uma nova arquibancada principal e a remodelação contínua da arquibancada Anfield Road, bem como uma mudança de Melwood para um novo centro de treinamento de £ 50 milhões em Kirkby.

No entanto, seu modelo de gastos sustentáveis ​​atraiu algumas críticas, bem como seu envolvimento na trama separatista da Superliga Europeia, que acabou não vingando.