Lista de sócios do Vasco: presidente da Assembleia Geral revela cartas a Campello; análise está paralisada


A lista de sócios do Vasco segue gerando polêmica. O documento, necessário para a convocação do referendo das eleições diretas e também para o pleito presidencial - ambas previstas para este ano - foi alvo de discórdia num passado recente e voltou a ter interpretações diferentes entre o mandatário do clube, Alexandre Campello, e da Assembleia Geral, Faues Mussa. Este, desta vez, revela ter enviado cartas a Campello pedindo pela lista detalhada. Sem ela, a análise da lista está paralisada. Confira a nota enviada por Mussa:

"Na condição de Presidente da Assembleia Geral do Club de Regatas Vasco da Gama e, estatutariamente, como responsável por conduzir a Assembleia Geral, venho informar aos vascaínos o andamento dos trabalhos de preparação para as duas Assembleias Gerais, previstas para este ano.

É importante que se esclareça que a lista de sócios ativos, disponibilizada mensalmente no site oficial do clube, não resolve o trabalho de análise. Para um trabalho completo se faz necessária a base total de sócios, mesmo daqueles que, momentaneamente, não estão aptos, afinal, podem a qualquer momento regularizar suas situações, seja pagando as suas mensalidades em atraso ou se recadastrando e, desta forma, entrarem no cadastro de sócios aptos a votar. Também são necessárias as movimentações financeiras referentes aos novos sócios, aos anistiados e às transferências de
títulos, do período do mandato atual. O Vasco tem um infeliz histórico de eleições judicializadas, sempre questionadas. Meu objetivo é reverter esse quadro, organizando as duas eleições de forma transparente e limpa.

Por conta disso, o tenho tentado o caminho do diálogo, mesmo depois de ter protocolado três cartas na Secretaria do clube, para o Presidente Alexandre Campello, solicitando os documentos necessários - nenhuma resposta recebi. Aceitei trabalhar em uma sala de São Januário, com apenas um computador e com todos os seus acessos bloqueados.

No dia 13 de Março, foi o último dia que foi possível trabalhar em São Januário. Na semana seguinte foi decretado, pelo Governo de Estado, a quarentena e o Vasco anunciou, de forma compreensível, que sua Secretaria fecharia e os funcionários trabalhariam apenas à distância.

Porém, fui surpreendido pela matéria publicada no Site LanceNet, no dia 06/05, que informa que a Secretaria está fechada para atendimento externo, mas trabalhando internamente em sistema de rodízio, tendo assim funcionários disponíveis para ajudar na verificação da lista. Desconhecia tal procedimento.

Mesmo informado pela imprensa desse contexto, discordo veementemente em expor os funcionários da Secretaria do Vasco ao contato físico presencial, principalmente sabendo dos crescentes casos de contágio em nossa cidade. Trate-se de um risco absolutamente desnecessário e vão contra as recomendações das agências de saúde. Ademais, no caso da análise da lista de sócios, a análise remota pode ser feita sem prejuízos e riscos.

Pelos fatos expostos, comunico que, por motivos alheios a minha vontade, desafortunadamente, os trabalhos preparatórios para as Assembleias Gerais encontram-se paralisados.

Rio de Janeiro, 08 de Maio de 2020

Saudações Vascaínas,

Faués Cherene Jassus
Presidente da Assembleia Geral"

Mussa chegou a ser infectado pelo COVID-19. O presidente da Assembleia Geral vascaína, no entanto, está recuperado.
























Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

Leia também