Lisca 'finca' os pés no chão para garantir vaga do Coelho nas semis

Valinor Conteúdo
·2 minuto de leitura


A grande vitória do América-MG fora de casa diante do Internacional(1 a 0) , pelo jogo de ida das quartas de final da Copa do Brasil , satisfez o técnico Lisca com o desempenho do time, mas não tirou o senso de sobriedade do treinador pela vantagem conquistada.

Lisca mantém os pés no chão para ter concentração e foco no duelo de volta, no dia 18, no Independência, para chegar a uma inédita semifinal da Copa do Brasil.

Com o triunfo em Porto Alegre, o Coelho pode até empatar no Horto para avançar no mata-mata nacional. Mas, Lisca já pensa no duelo que vale a vice-liderança da Série B, contra o Cuiabá, no sábado, 14, pela 21ª rodada da Série B.

- Uma vitória importante. Um primeiro tempo de um jogo de 180 minutos, e nós simplesmente temos uma vantagem mínima, de 1 a 0. O segundo tempo é lá em BH, e a gente sabe que o fator casa, hoje, mudou muito, até pelas condições que se tem com a pandemia.O jogo está aberto, temos uma pequena vantagem, e vamos trabalhar forte para no sábado já pegar o Cuiabá, e na quarta-feira aguardar o Internacional, para tentar fazer o nosso melhor, um grande jogo, acreditando no nosso trabalho, respeitando muito-disse Lisca.

Mesmo com o bom resultado , o comandante americano quer melhora da equipe, pois sabe que para superar o Colorado, vai precisar de um desempenho mais intenso do que em Porto Alegre.

-Vamos ver se a gente consegue melhorar, e a gente vai ter que melhorar muito, para ver se a gente consegue essa classificação-completou.

Quem passar deste confronto, entre Saci e Coelho enfrentará o vencedor de Palmeiras x Ceará. O verdão está em vantagem após vencer por 3 a 0 em São Paulo.


Não utilização de Alê explicada

O meia Alê, destaque do América em 2020, não foi utilizado na partida no Beira-Rio causando estranheza nos torcedores. Lisca explicou que preferiu poupar o jogador, porque ele teve uma indisposição no dia anterior ao jogo, tendo de ir a um hospital.

- Queria até comunicar ao torcedor: o Alê estava no banco, mas não tinha condições de jogo. Passou o dia todo ontem vomitando, com diarreia bem forte, teve uma pequena infecção intestinal, precisou até ir ao hospital ontem (terça-feira) à noite, tomando soro. Hoje ele estava um pouco melhor, mas conversei com ele, porque era um jogo de muita exigência. Optei pelo Calyson, mas muito mais por isso, pelo Alê não estar à disposição. É um jogador muito importante para a gente- explicou o treinador.