Linha do tempo: entenda polêmica do suposto símbolo do racismo americano encontrado no box de Bubba Wallace

Jim Utter
motorsport.com

A etapa de Talladega, a 13ª da temporada de 2020 da NASCAR Cup Series, foi recheada de polêmicas, principalmente fora da pista. A corrida teve que ser adiada para a segunda-feira, 22 de junho, por causa da chuva e antes mesmo dos carros acelerarem, as notícias vindas do superoval do Alabama chocavam fãs, profissionais do esporte e jornalistas.

Durante a tarde de domingo, manifestantes protestaram contra a decisão da categoria de banir a bandeira dos confederados, tomada há algumas semanas. Mas no fim daquela noite, outra notícia, fornecida pela própria NASCAR, era mais chocante, a de uma corda com laço de enforcamento ter sido encontrada na garagem do carro #43 da Richard Petty Motorsports, a de Bubba Wallace, único piloto negro da elite da NASCAR.

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

Investigation at Darrell Wallace Jr., Richard Petty Motorsports pit garage

Investigation at Darrell Wallace Jr., Richard Petty Motorsports pit garage <span class="copyright">NASCAR Media</span>
Investigation at Darrell Wallace Jr., Richard Petty Motorsports pit garage NASCAR Media

NASCAR Media

O caso teve repercussão dentro e fora do esporte, com a Governadora do Alabama (estado onde Wallace nasceu) divulgando um pedido oficial de desculpas e se colocando à disposição da NASCAR para a investigação e até o FBI se envolvendo no caso. 

Na prova, realizada na segunda, o mundo da NASCAR se uniu em apoio a Bubba, prestando diversas homenagens ao piloto antes do início da corrida. Entre eles, estava o dono da equipe pela qual o piloto corre, Richard Petty. Petty decidiu estar presente no autódromo para dar um abraço em seu piloto após a descoberta do objeto.

Nós dias seguintes, uma série de investigações e reviravoltas aconteceram e o Motorsport.com esclarece em uma linha do tempo:

- No domingo, após a inspeção inicial e antes da corrida – que acabaria adiada por causa da chuva - um membro da equipe de Bubba Wallace notou o laço pendurado na garagem. Aproximadamente às 16h30, a NASCAR foi alertada pela presença do laço. Representantes da categoria fizeram uma varredura completa da garagem por sua equipe de segurança e descobriram que apenas a corda da equipe #43 tinha um laço. Todos os outros eram cordas regulares.

- Por volta das 18h do domingo, a direção da NASCAR se reuniu e imediatamente determinou que uma investigação se justificava e começou as etapas iniciais. Aproximadamente às 19h30, o presidente Steve Phelps relatou a Wallace do que foi encontrado na garagem. A NASCAR divulgou uma declaração à imprensa às 22h40.

- Às 10h da manhã de segunda-feira, o FBI chegou à pista com 15 agentes para iniciar sua investigação. A NASCAR forneceu ao FBI uma lista de funcionários com acesso à garagem, além de vídeos e imagens tirados do fim de semana e do fim de semana da prova de outono de 2019.

- Durante o dia, o FBI entrevistou membros de diversas equipes, fiscais da NASCAR, equipes de segurança e bombeiros. O Talladega Superspeedway também forneceu ao FBI uma lista de eventos que ocorreram desde outubro de 2019, que é quando as novas garagens foram inauguradas.

- O FBI relata no final da segunda-feira que suas entrevistas estavam completas e as evidências naquele momento eram inconclusivas e eles planejavam continuar sua investigação na manhã seguinte.

- Na terça-feira de manhã, a NASCAR recebeu um vídeo adicional e forneceu ao FBI. O vídeo corroborou o testemunho de uma das entrevistas que o FBI havia realizado de que o laço estava presente naquela garagem durante o evento da Cup Series de 2019. A Procuradoria dos EUA e o FBI informaram à NASCAR que sua investigação havia concluído que este foi um incidente, não um crime de ódio.

- A NASCAR foi convidada a manter a conclusão confidencial até a divulgação do FBI. O comunicado do FBI saiu às 16h10da terça-feira. Por volta das 16h15, a NASCAR divulgou seu próprio comunicado e uma teleconferência foi realizada naquela noite.

- Na quinta-feira, a NASCAR divulgou uma foto do laço encontrado na garagem de Bubba em Talladega e anunciou planos para adicionar câmeras e realizar treinamento de sensibilidade para ajudar a evitar futuros incidentes: "O laço era real", disse o presidente da NASCAR, Steve Phelps, "assim como nossa preocupação com Bubba".

Téo José revela papo com Silvio Santos que causou redução da cobertura da Indy

PODCAST: As notas atribuídas aos pilotos no game F1 2020 são malucas?

Your browser does not support the audio element.

Leia também