Limitações físicas e vontade pessoal pesaram na decisão de Galvão Bueno em deixar as narrações na TV

Galvão já tem acordo com a Globo para as Olímpiadas de 2024 - não como narrador (Foto: Reprodução/ TV Globo)


Galvão Bueno não narrará mais em TV aberta após a Copa do Mundo. Esse é o desejo do veterano comunicador de 72 anos. Mas isso não significa que ele encerrará neste ano totalmente seu vínculo com a TV Globo. O LANCE! apurou que emissora e Galvão já possuem algumas parcerias encaminhadas até 2024.

O narrador está gravando um documentário para o Globoplay, e detalhes dessa produção, inclusive, já foram divulgados nas redes sociais dele. Recentemente, Galvão esteve em Los Angeles para gravar no estádio onde deu o famoso grito de 'É Tetra'. Em janeiro de 2023, ele já tem uma viagem marcada para Yokohama, no Japão, onde foi responsável por dar voz ao penta da Seleção.

Nas Olímpiadas de Paris, em 2024, Galvão Bueno estará prestando um serviço pontual na Globo como um 'anfitrião'. Ele não narrará competições. O comunicador participará de programas importantes como a apresentação da cerimônia de abertura do evento e em outras atrações olímpicas na grade da emissora.

Galvão também já demostrou vontade de ter um programa no estilo "Talk Show", assim como Jô Soares teve na Globo. A ideia nunca avançou na emissora da família Marinho, apesar das investidas do comunicador.

Em compensação, o locutor terá um 'Bem, Amigos', em TV aberta, ainda este ano. A transmissão será feita simultaneamente com o SporTV e o narrador pretende reunir diversos amigos no programa, entre eles, Walter Casagrande, que deixou a emissora recentemente, será convidado.

VONTADE PESSOAL E SAÚDE PESARAM NA DECISÃO
O L! apurou ainda que Galvão não tem intenção de voltar a narrar em TV aberta e que as especulações de uma negociação com outra canal ou com o Youtube não procedem. Ele vê essa situação como página virada em sua vida. Além da vontade de fazer algo novo, na internet, as limitações físicas também pesaram na decisão do veterano narrador.

+ Galvão fala sobre infarto: 'Talvez eu morresse narrando o gol do Flamengo aos 47 do segundo tempo'

Galvão teve um infarto quando se preparava para narrar a final da Libertadores de 2019, vencida pelo Flamengo. Luís Roberto substituiu o titular em cima da hora. As viagens cansativas e a rotina de narrador pesaram na decisão de encerrar a carreira com 'chave de ouro' na Copa do Mundo. Apesar disso, a participação do veterano gera uma precaução extra na produção da Globo.

Durante os últimos anos, Galvão precisou reforçar os cuidados com as cordas vocais e, inclusive, precisou levar, em algumas situações, uma fonoaudióloga para a cabine de transmissão para fazer uma 'vaporização', para que ele conseguisse concluir as transmissões que duram, em média, duas horas. Já a apresentação de programas seria algo menos doloroso. Com entrevistados, o apresentador não precisa forçar a voz por longos períodos.