WSL adia etapa do Rio e define 'final' do Mundial de surfe a partir de 2021


A Liga Mundial de Surfe (WSL) anunciou nesta terça-feira o adiamento de todos os eventos previstos para o mês de junho, em todas as divisões do Circuito Mundial (WCT), devido à pandemia da COVID-19. Com isso, o Oi Rio Pro, em Saquarema, que aconteceria entre os dias 18 e 27 de junho, também será postergado, ainda sem uma nova data. A próxima atualização da entidade sobre o calendário de 2020 será feita em 1º de junho, e a expectativa é de um possível reinício das competições no mês de julho.

– Onde e quando iremos realizar nossos eventos este ano ainda é uma questão muito indefinida. Mas continuamos trabalhando com os governos dos países, as autoridades de saúde e com nossas comunidades locais sobre o retorno das atividades. Neste momento, estamos adiando todos os eventos da WSL em junho. Isso significa que a etapa do Championship Tour programada para junho no Brasil, a Oi Rio Pro, está oficialmente adiada. Mas esperamos que as condições para viagens e deslocamentos melhorem o suficiente para realizarmos o evento ainda este ano – disse o CEO da World Surf League, Erik Logan.

O departamento de Circuitos e Competições da WSL também anunciou um novo formato para a temporada 2021, com mudanças para decidir os campeões mundiais do Championship Tour e para os circuitos do Challenger Series e do Qualifying Series.

– Antes da COVID-19, vínhamos trabalhando em como poderíamos evoluir o Championship Tour, bem como a qualificação para o CT e todos os nossos Circuitos a partir de 2022. Quanto mais trabalhávamos nessa transformação, mais ficávamos empolgados, então, essa pausa devido à COVID-19 abriu a oportunidade para podermos acelerar essas mudanças – disse Logan.





Liga define "final" do Mundial a partir de 2021

O dirigente aproveitou para anunciar que, a partir de 2021, os campeões mundiais passarão a ser decididos em um confronto direto entre os dois melhores surfistas do ano, no último dia da temporada do Mundial.

Como foi no ano passado, quando Ítalo Ferreira conquistou o título decidido na final com Gabriel Medina nos tubos de Pipeline, no Havaí. A batalha final será travada no sistema “surf-off”. Essa evolução faz parte de uma discussão de vários anos e o formato final recebeu colaboração de surfistas e patrocinadores juntamente com os dirigentes da WSL.

– Sinto que o novo formato aumenta a intensidade de toda a batalha pelo título mundial. A diferença é que você ganha na água, o que é importantíssimo! Tudo vai depender somente de você e de mais ninguém. Esse tipo de intensidade, esse tipo de pressão competitiva aumenta o nível e é mais emocionante – disse a bicampeã mundial Tyler Wright, da Austrália.

Além do novo formato para o Championship Tour (CT) a partir de 2021, o calendário será redefinido para criar temporadas distintas entre o CT e o Challenger Series durante o ano. Esta atualização vai fornecer uma vitrine destacada para os surfistas, permitindo para aqueles que não se requalificam através do CT tenham a oportunidade de conseguir isso nas etapas do Challenger Series na mesma temporada, sem ter que esperar por um ano inteiro para voltar à elite dos melhores do mundo.

Os eventos regionais do Qualifying Series também serão mais valorizados, incentivando os surfistas a competirem mais perto de casa, sem precisar se desgastar financeiramente na busca pela classificação para o Challenger Series. Os circuitos regionais oferecerão mais oportunidades para os surfistas de cada continente, reduzindo a pressão econômica para os atletas e patrocinadores, além de estimular o interesse da mídia pelos surfistas que, um dia, poderão estar no topo do esporte.










Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

Leia também