Libertadores: o que fica de lição para o Flamengo após sequência aquém na fase de grupos

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·4 minuto de leitura
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.


O Flamengo se classificou em primeiro lugar do Grupo G da Libertadores. Com saldo positivo de cinco gols, não perdeu na chave em que tinha LDU, Unión La Calera e Vélez Sarsfield, e encerrou, invicto, com 12 pontos (três vitórias e três empates). Mas há um inegável sinal de alerta incomodando no horizonte.

Rodrigo Caio e Rogério Ceni que me permitam discordar de suas opiniões. O Flamengo, apesar de não ter sofrido gols contra o Vélez, no insosso empate em 0 a 0 da última noite, voltou a demonstrar fragilidade no sistema defensivo e na bola aérea. Longe do ideal, o camisa 3 e Gustavo Henrique cometeram oito faltas, ao todo (cinco apenas Caio), e saíram amarelados. Quase todas foram cometidas em saídas dos zagueiros para o combate direto, expondo uma recomposição defensiva falha e preocupante para o restante da temporada.

+ Brasileirão: Veja datas, onde ver e locais dos dez primeiros jogos do Fla

Na frente, dessa vez, o talento individual não decidiu, como ocorreu através da canhota de Arrascaeta no jogo de ida (e estreia) contra o Vélez.

A ausência da impetuosidade e apatia, o que já havia ocorrido em outro jogo pós-título nesta temporada (na derrota para o Vasco), ficam de lição para que o Flamengo não abafe problemas coletivos crônicos em jogos de mata-mata, em que falhas pontuais, como ocorreu diante do Racing em 2020, tendem a ser fatais. Rogério Ceni, inclusive, admitiu o erro repetido.

Flamengo x Velez
Flamengo x Velez

Diego Alves foi o único destaque positivo do Flamengo no jogo contra o Vélez no Maracanã (Foto: Marcelo Cortes / Flamengo)

Outra lição a ser tirada é que Pedro - que atuou por Bruno Henrique estar suspenso - e Gabigol ainda não encontraram um sistema favorável para dialogarem. Mal abastecida pelos meias, a dupla pouco se procurou quando atuou lado a lado. Vai ser importante Ceni aprimorar tal opção para ampliar o leque o quanto antes, sobretudo no segundo tempo das partidas decisivas.

+ Vai começar! Veja a tabela do Campeonato Brasileiro

Quanto a fator positivo, o Flamengo teve a boa volta de Diego Alves, que fez boas defesas, mas chamou mais a atenção - novamente - pela liderança ao instruir o sistema defensivo. A sequência do goleiro será importante para o Fla ser um time mais equilibrado, já que, pelo que foi visto no returno da Libertadores, em uma sequência aquém do esperado, com empates e rendimento frustrantes, Ceni tem mais a corrigir do que a enaltecer.

POSSÍVEIS ADVERSÁRIOS NAS OITAVAS

Líder do Grupo G, o Flamengo garantiu lugar no Pote 1 no sorteio das oitavas de final da Libertadores, que será realizado na próxima terça-feira (1). Dessa forma, os possíveis adversários do Rubro-Negro na próxima fase são: Defensa y Justicia (ARG), Olimpia (PAR), Boca Juniors (ARG), River Plate (ARG), São Paulo, Universidad Católica (CHI), Vélez Sarsfield (ARG) e Cerro Porteño (PAR).

O foco agora, contudo, é a estreia no Campeonato Brasileiro. Neste domingo, o Flamengo volta ao Maracanã para enfrentar o Palmeiras, às 16h.

RESUMO DO FLA NO GRUPO G DA LIBERTADORES

Jogos: 6
Vitórias: 3
Empates: 3
Derrotas: 0
Aproveitamento: 66,6%
Campanha na Libertadores: 5ª melhor

Gols marcados: 14
Gols sofridos: 9
Principal artilheiro: Gabigol (6 gols)

As escalações:

Vélez Sarsfield 2x3 Flamengo (1ª rodada da Libertadores)
Diego Alves; Isla, Willian Arão, Gustavo Henrique (Bruno Viana) e Filipe Luís; Diego, Gerson (Hugo Moura), Everton Ribeiro (Vitinho) e Arrascaeta; Bruno Henrique (Pedro) e Gabigol - Técnico: Rogério Ceni.

Flamengo 4x1 Unión La Calera (2ª rodada da Libertadores)
Diego Alves; Isla, Bruno Viana, Willian Arão (Léo Pereira) e Filipe Luís; Gerson, Diego (João Gomes), Everton Ribeiro (Vitinho) e Arrascaeta (Michael); Bruno Henrique (Pedro) e Gabigol - Técnico: Rogério Ceni.

LDU 2x3 Flamengo (3ª rodada da Libertadores)
Diego Alves (Hugo Souza); Isla, Willian Arão, Bruno Viana (Gustavo Henrique) e Filipe Luís; João Gomes (Hugo Moura), Diego Ribas, Everton Ribeiro (Vitinho) e Arrascaeta; Bruno Henrique e Gabigol (Renê) - Técnico: Rogério Ceni.

Unión La Calera 2x2 Flamengo (4ª rodada da Libertadores)
Gabriel Batista; Isla (Matheuzinho), Willian Arão, Bruno Viana (Ramon) e Filipe Luís; João Gomes (Pedro), Diego Ribas, Everton Ribeiro e Arrascaeta; Bruno Henrique e Gabigol - Técnico: Rogério Ceni.

Flamengo 2x2 LDU (5ª rodada da Libertadores)
Gabriel Batista; Matheuzinho, Bruno Viana, Gustavo Henrique e Léo Pereira (Ramon); Willian Arão, Gerson (Diego Ribas), Everton Ribeiro (João Gomes) e Vitinho (Arrascaeta); Pedro e Gabigol (Bruno Henrique) - Técnico: Rogério Ceni.

Flamengo 0 x 0 Vélez Sarsfield (6ª rodada da Libertadores)
​Diego Alves; Isla, Rodrigo Caio, Gustavo Henrique (Léo Pereira) e Filipe Luís; Diego (Vitinho) , Gerson (João Gomes), Everton Ribeiro (Hugo Moura) e Arrascaeta; Pedro (Rodrigo Muniz) e Gabigol.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos