Libertadores feminina: Cristiane artilheira, rivalidade e mais curiosidades do torneio

Torneio feminino vem crescendo a cada ano e já contou com grandes craques
Torneio feminino vem crescendo a cada ano e já contou com grandes craques

A Copa Libertadores Feminina vem ganhando cada vez mais espaço. Especialmente após a Copa do Mundo feminina de 2019, na qual a audiência registrou mais de 1 bilhão de espectadores ao redor do mundo, muitas pessoas começaram a olhar com mais atenção para as mulheres no futebol.

É natural que os torcedores comecem a querer saber mais sobre seus clubes do coração representados pelas equipes femininas. Nesse ano há dois clubes do Brasil na competição: o Corinthians e a Ferroviária.

Há várias curiosidades sobre esse importante torneio, que agora conta com a transmissão exclusiva do DAZN. Confira algumas delas.

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

Presenças ilustres

O torneio mais importante da América do Sul só poderia contar com vários nomes de peso. Algumas delas são bem conhecidas como Cristiane, Marta, Maurine, Formiga, Andressa Alves e Debinha, representantes importantes e constantes na seleção brasileira.

Cristiane, a artilheira

A atacante do São Paulo, Cristiane é não apenas a maior artilheira em um campeonato, como a maior artilheira da história da Libertadores feminina. Em 2009, quando atuava pelo Santos, o atacante marcou 15 gols. Em todas as suas participações, Cristiane balançou as redes 30 vezes.

Dois estádios

A competição de 2019 é disputada em dois estádios: Estádio Olímpico Atahualpa, que tem capacidade para 35.742 pessoas e é a casa da seleção do Equador. O outro ponto é o Estádio Casablanca, que tem capacidade para 41.596 pessoas e é a casa da LDU de Quito.

Corinthians sem parceria

Essa é a primeira edição que o Corinthians depende apenas das próprias pernas. Na última vez que participou do torneio o Timão ainda contava com a parceria do Audax.

Ferroviária campeã

A Ferroviária é um time muito forte e tradicional do futebol feminino e já foi campeã da Libertadores em 2015.

Rivalidade do Brasil para a América

A rivalidade entre Corinthians e Ferroviária cresceu muito nos últimos anos. Nesse ano, por exemplo, os dois times fizeram a semifinal do Paulistão, com o Corinthians avançando e a finalíssima do Brasileirão, que teve a Ferroviária como campeã.

Brasil, a maior sede do torneio

O ano de 2019 marca a 10ª edição da Libertadores Feminina, e o Brasil é a maior sede da competição. Foram sete vezes que o campeonato foi disputado em terras brasileiras. Colômbia, Uruguai e Paraguai também já sediaram o certame.

O atual campeão

O atual campeão da Libertadores Feminina é o Atlético Huila, da Colômbia. As colombianas venceram o Santos na final apenas por pênaltis por 5 a 3. No tempo normal, a partida acabou empatada em 1 a 1.

Leia também