Libertadores não pode ser isso

·1 minuto de leitura
Atlético Mineiro classificado FOTO Bruna Prado-Pool/Getty Images

Eu não teria anulado o lance do gol do Boca Juniors contra o Atlético Mineiro, na Bombonera. Mas - como quase toda a regra do jogo -, há discussão na marcação da falta sobre Nathan.

Tem como aceitar a marcação de impedimento por um cromossomo à frente do xeneize no lance em que Everson vacilou e deu o gol que o VAR acabaria anulando, pela real participação do atleta argentino contra o goleiro atleticano, na partida de volta, no Mineirão.

Dois lances muito discutíveis. Até para de novo discutir o conceito de "mesma linha" que precisa ser rediscutido pelos "velhinhos" da International Board na era do VAR.

Mas, de velho: é o caso de ter tanta guerra e tanta porrada em Libertadores?

Por mais que desta vez, e apenas desta vez, o Boca Juniors possa mesmo reclamar das decisões da arbitragem, não pode pressionar arbitragem na cabine do VAR no gramado; não pode repetir as bárbaras cenas nos vestiário. Não pode ser assim.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos