Libertadores-21: quem é que passa?

·3 minuto de leitura
Brasileiros vivos na Libertadores FOTO Getty Images

ESCREVE MAURO BETING

GRUPO A - Pode ser um dos “grupos da morte” (TM) da fase de grupos. Por definição já é brabo pela presença do atual campeão Palmeiras. Também se complica pelo campeão da Sul-Americana estar em campo - Defensa y Justicia. O Universitário peruano é o patinho feio (que ganhou do Palmeiras no Pacaembu em 1979...). Não deve ser o páreo e a dureza que virá de quem passar entre o Grêmio ainda mais forte e o Independiente del Valle que merece respeito pelo que tem feito, mas ainda em transição depois da saída de Miguel Angel Ramirez para o Internacional. CHUTE? Palmeiras e Grêmio.

GRUPO B - O Internacional não era cabeça de chave e pegou um grupo acessível. O Olimpia é um tricampeão da Libertadores. Time forte, dinâmico na frente, de boa pegada e camisa, como explica o especialista em futebol latino americano Joza Novalis. Mas superável. Como serão Deportivo Táchira e Always Ready boliviano. CHUTE? Internacional e Olimpia.

GRUPO C - Outro grupo bem equilibrado e com potencial e camisas pesadas. O Boca tem tudo, bom elenco, mas não tem atuado bem, e a conta pode ser debitada no passivo do treinador Russo. O Barcelona tem um time jovem com novo comando. Deve crescer. Mas ainda não se sabe se a tempo para encarar muito possivelmente o Santos, que deve eliminar o San Lorenzo, e contra as Crianças da Vila que seguem muito firmes. The Strongest não tem sido só a altitude de La Paz. Time chato. CHUTE? Santos e Boca.

GRUPO D - O River Plate já está se remontando. E segue muito forte com Gallardo no comando desde 2014. Um dos maiores favoritos ao título. Fluminense luta pela outra vaga com boas possibilidades contra um adversário que tem o melhor sistema defensivo na Colômbia - Santa Fé. Equipe consistente. Venha Bolívar ou Junior Barranquilla, o Tricolor terá trabalho. Altitude ou melhor técnica. Grupo muito difícil e equilibrado. CHUTE? River Plate e... Fluminense. Mais torcida do que conviccção.

GRUPO E - São Paulo desta vez não pode se queixar do sorteio. Racing sempre merece respeito, eliminou o campeão da Libertadores de 2019 em pleno Maracanã. Mas é outro time, com outro comando, e elenco mais jovem e menos qualificado. Sporting Cristal e Rentistas são acessíveis. O que deu de azareio recente o Tricolor, desta vez volta a tabelar com a fortuna. CHUTE? São Paulo e Racing.

GRUPO F - Nacional mudou o comando mas não a filosofia. Time duro defensivamente e bastante consistente. Time bem complicado e copeiro para enfrentar. Sem Ariel Holán, a Universidad Católica pode ter perdido o rumo. Argentinos Juniors, mais uma vez, chegam com equipe muito jovem, e com gente promissora. Libertad ou Atlético Nacional de Medellín chegam das fases anteriores. Mas com potencial para chegar ao mata-mata. CHUTE? Nacional e quem passar de Libertad ou Atlético Nacional de Medellín.

GRUPO G - Flamengo é um dos grandes favoritos ao título. Mas pega rival que também pode ir além. LDU é time equilibrado, que sofre poucos gols, e sabe atacar. Vélez tem uma base muito jovem bem lançada pelo ex-técnico Heinze. Tem o promissor articulador Almada, em sua provável última Libertadores antes de ir para a Europa. Conjunto pode crescer. Unión La Calera chileno faz número, e pode fazer alguns mesmo. CHUTE? Flamengo e LDU.

GRUPO H - Cerro Porteño parece ser o de sempre. Respeitável pelo número de Libertadores disputadas. Ponto. Nem para a final chegou desde 1960. Deverá ser a mesma história agora. Nem líder do grupo deverá ser contra o cada vez mais forte e experiente Atlético Mineiro. O América de Cali é outro que deve crescer durante o torneio. Mas tem sérios problemas defensivos. O venezuelano Deportivo La Guaira é muito simpático. CHUTE? Atlético Mineiro e... E... Cerro.