Liberado após doping, Rodolfo irá se reapresentar ao Fluminense na segunda-feira

Luiza Sá
·3 minuto de leitura


Vinculado ao Fluminense até o fim de 2021 e liberado pela Conmebol para voltar a jogar depois de mais de um ano e sete meses, o goleiro Rodolfo será reintegrado ao elenco a partir da próxima segunda-feira. O anúncio foi feito pelo presidente Mário Bittencourt, em entrevista coletiva na tarde desta sexta, no CT Carlos Castilho. Em 2019, o arqueiro testou positivo para a substância benzoilecgonina, principal metabólito da cocaína e proibida no regulamento de doping.

> Olho neles! Veja técnicos estrangeiros que podem ser opções para times brasileiros em 2021

- Quando ele foi suspenso a previsão era de quatro anos ou banimento do futebol. Como o problema dele é de droga social e dependência química, já tive um caso do Michael anteriormente aqui. Percebi que essas pessoas precisam da nossa ajuda. Naquela época ajudei o Michael como advogado e diretor de futebol. Quando o Rodolfo foi pego ele achou que eu fosse suspender totalmente o contrato, sem pagar salário. Acho que fazer isso seria uma punição muito cruel que poderia fazer com que ele destruísse a carreira e a família. Fiz um acordo que ele ficaria conosco se tratando, fazendo psicológico, médico, colocaria o departamento jurídico à disposição e para um acordo de pagar 20 ou 25% do salário enquanto durasse o contrato para ele manter a família - disse o mandatário.

- Ele cumpriu o tratamento integralmente. Nosso jurídico teve uma atuação brilhante reduzindo a pena. Estamos reintegrando ele na segunda-feira. Ele sabe das dificuldades de voltar a jogar, tem Marcos Felipe, Muriel, João, Pedro. Mas nosso dever como instituição é reintegrar ele. Será bem vindo e estará de volta, estando à disposição. Acho que ele não pode mais ser inscrito, mas poderá estar nas outras competições. Não sei se vão procurar outro clube - completou.

VEJA E SIMULE A TABELA DO BRASILEIRÃO

O goleiro já havia caído no doping pelo mesmo motivo em 2012, quando jogava pelo Athletico-PR, ficando dois anos suspenso. Rodolfo foi pego no exame do dia 23 de maio de 2019, depois da vitória por 4 a 1 sobre o Atlético Nacional, da Colômbia, pela Copa Sul-Americana, quando foi reserva. Na época, o gancho era de três anos. Em maio de 2020, a defesa conseguiu redução da pena em um ano, liberando o jogador para treinos e jogos a partir de 23 de março de 2021.

Em agosto do ano passado, Rodolfo moveu um recurso no Tribunal Arbitral do Esporte (TAS), mas o julgamento em dezembro manteve a decisão da Conmebol. Entretanto, as novas regras da WADA, que começaram a valer desde 1 de janeiro, alteraram a categoria da benzoilecgonina, agora considerada uma "substância aditiva", de menor gravidade.

Por conta da nova regulamentação, a defesa de Rodolfo entrou com recurso no dia 4 de janeiro, que acabou sendo aceito na última terça-feira. A Conmebol ainda pode recorrer nos próximos 21 dias.

Rodolfo tem 29 anos e 34 partidas pelo Fluminense. Agora, ele disputa posição com Marcos Felipe, Muriel, João Lopes, que vem atuando no Sub-23, e Pedro Rangel, do Sub-20.