Levir vira alvo de fritura no Santos, que já tem quatro candidatos à presidência

Queda na Libertadores ainda pesa contra treinador do Peixe (Lance)

Pode parecer maluquice, mas no fim de semana em que o Santos assumiu a vice-liderança do Brasileirão, cresceu muito a pressão em cima de Levir Culpi. A desconfiança em relação ao trabalho do treinador, inclusive, atingiu alguns dos membros do Conselho de Gestão, órgão que ajuda o presidente Modesto Roma Júnior nas grandes decisões.

Os torcedores do Santos já haviam iniciado protestos contra Levir e alguns jogadores depois da eliminação na Libertadores, na última quarta-feira, por causa da derrota para o Barcelona de Guayaquil, por 1 a 0, em plena Vila Belmiro. O time havia empatado em 1 a 1 no Equador e passaria às semifinais da Libertadores com um 0 a 0.

Levir já previa dias turbulentos para si após a queda diante do Barcelona. “Vai pesar muito (a derrota). É um ano político. Podem esperar que o pau vai cantar. Vamos tentar segurar as pontas e dar o nosso melhor. Senão, o técnico vai embora”, afirmou, ainda no vestiário da Vila Belmiro, enquanto torcedores promoviam uma guerra do lado externo.

Contratado em junho, o substituto de Dorival Júnior tem 12 vitórias, nove empates e apenas quatro derrotas pelo Peixe, com aproveitamento de 60% dos pontos. O contrato de Levir termina com o fim do Brasileirão, em pouco mais de dois meses.

Eleição concorrida: Depois de Modesto Roma, Andres Rueda e José Carlos Peres, o Santos passará a contar nos próximos dias com um quarto candidato à presidência. E a tendência é de que Nabil Khaznadar entre na disputa.

Quatro grupos políticos, que contam com aproximadamente 250 sócios, vão se reunir na próxima semana para escolher o candidato que os representará em dezembro. Nabil já concorreu na última eleição, três anos atrás, e teve 735 votos, quase 600 a menos do que Modesto, que acabou vencedor.

Os quatro grupos que devem apoiar Nabil são “Santos que queremos”, “Autênticos”, “Santos 2.1” e “Renovação”. Além de Nabil, outras lideranças desse movimento são Walter Schaka e Micael Ferrone.

Vale lembrar que a eleição passada do Santos teve cinco concorrentes: Modesto Roma teve 1.321 votos, seguido por José Carlos Peres com 1.139, Fernando Silva com 1.077, Orlando Rollo com 855, além de Nabil, com seus 735 votos.

Para acessar outras notícias do Blog do Jorge Nicola, clique aqui: