Lesão, polêmicas e gol decisivo: chegada de Adriano ao Corinthians completa 10 anos

Fábio Lázaro
·4 minuto de leitura


O dia 31 de março de 2021 marca os 10 anos da apresentação do atacante Adriano ao Corinthians.

Já longe do auge da sua carreira, a chegada do jogador ao Timão foi cercada de expectativas, principalmente por conta do fator Ronaldo. Centroavante com uma carreira de sucesso no futebol europeu, assim como o Imperador, o Fenômeno havia voltado ao Brasil dois anos antes para vestir a camisa corintiana e foi um sucesso, conquistado o Paulistão e a Copa do Brasil, em 2009, tendo anunciado a sua aposentadoria no mês anterior.

Em baixa na Itália

Revelado pelo Flamengo no ano 2000, Adriano chamou a atenção do futebol italiano no ano seguinte, quando foi vendido a Inter de Milão. Após empréstimos a Fiorentina e Parma, o centroavante iniciou o seu grande período pela Internazionale entre 2004 e 2006, tendo marcado 64 gols em 141 jogos no período.

Contudo, o atleta entrou em baixa a partir de 2007, sendo emprestado ao São Paulo no ano seguinte, onde voltou a se destacar, indo as redes 17 vezes em 28 partidas, voltando a Inter, mas não repetindo o que fez pelo Tricolor.

Em 2009, o Imperador voltou ao Flamengo, sendo o grande nome do título brasileiro daquele ano e lhe dando uma segunda chance na Itália, com a camisa da Roma.

Na capital italiana, nova baixa, oito jogos e nenhum gol. O desejo de Adriano era voltar ao Fla, algo que não era da vontade do então técnico do clube, Vanderlei Luxemburgo. O Corinthians, então, se aproveitou, e com alta participação de Ronaldo nos bastidores, Adriano foi contratado pelo Timão.

>> Confira a tabela do Campeonato Paulista e simule os próximos jogos

Lesão no treino

Pouco tempo após chegar ao Timão, Adriano rompeu o tendão de Aquilos do pé esquerdo em um treino no CT Joaquim Grava, tendo que ser submetido a uma cirurgia para a reconstrução ligamentar. Na época, o atacante já se recuperava de outra lesão, no ombro, mas com previsão de retorno bem menor.

A partir dali começaram uma série de polêmicas envolvendo o jogador.

Polêmicas

Excesso de faltas nas sessões às fisioterapias, além de deslizes na recuperação, como o flagra com o pé imobilizado, em um momento em que ele precisava estar em repouso, foram as falhas que interferiram diretamente para retardar o retorno de Adriano aos gramados, o que era cinco meses se tornou oito.

Foram inúmeras faltas, que rendiam ao atleta multas, já previstas em contrato, mas maculava cada dia mais, não só ele, como a instituição, já que o Corinthians não conseguia cumprir com o principal objetivo do clube, recuperar Adriano.

Gol decisivo

Adriano estreou pelo Corinthians no dia 9 de outubro de 2011, sete meses após a sua apresentação, na vitória corintiana por 3 a 0, no estádio do Pacaembu, pelo Campeonato Brasileiro. Naquela ocasião, o atleta não marcou gols, mas deixou o seu primeiro tento pelo Timão para um momento especial.

No dia 20 de novembro, o Timão perdia por 1 a 0 para o Atlético-MG, no Paulo Machado de Carvalho, pela 36ª rodada do Brasileirão. Líder do campeonato, uma derrota naquele jogo poderia deixar a equipe em uma péssima situação na briga pelo título.

O Imperador entrou em campo aos 22 minutos do segundo tempo. Onze minutos depois, o time do Parque São Jorge empatou, com Liedson. Já aos 43 minutos da etapa final, coube o camisa 10 do Timão, com um toque por cima do goleiro Renan Ribeiro, dar a vitória ao Corinthians, em um dos grandes momentos da conquista nacional do clube paulista.

Ao ir às redes, Adriano tirou a camisa para mostrar que não estava acima do peso, algo que o atleta lutou desde a sua chegada ao Timão.

Luta conta a balança

Após conquistar o Campeonato Brasileiro, o Timão iniciou a preparação para a Copa Libertadores, no ano em que ganharia o torneio continental pela primeira vez. Antes de uma viagem para o Paraguai, quando o Timão enfrentaria o Guarani, Adriano recusou a participar da pesagem com o elenco e foi afastado, o que foi o começo do fim da passagem do atleta pelo Timão.

Fim com briga

O contrato de Adriano com o Corinthians se encerraria em junho de 2012, mas a diretoria corintiana à época optou pela ruptura do vínculo três meses anos. Com isso, o Imperador não chegou a ficar um ano completo no Parque São Jorge.

O estafe do jogador, por sua vez, foi à Justiça cobrando quantias relacionadas a direitos de imagem e até danos morais. As partes, então, entraram em um acordo de seis parcelas de R$ 300 mil, que totalizaria R$ 1,8 mi.