Lesão de Paulinho Boia mostra a falta de pontas no elenco do São Paulo

Pedro Alvarez *
·2 minuto de leitura


O atacante Paulinho Boia passará por uma artroscopia no joelho direito nesta quarta-feira (10) para retirar um corpo livre, de acordo com o que foi divulgado pelo São Paulo em nota oficial no seu site. A ausência, mesmo que curta, do jogador só evidencia uma insuficiência do elenco: a ausência de jogadores de velocidade.


Vizolli disse que ainda briga pelo título! Veja a situação do São Paulo na tabela!

Desde sua volta ao São Paulo, após período de empréstimo, o atacante atuou como ponta esquerdo, sendo uma opção para acrescentar velocidade ao ataque, bem como o drible para superar a marcação. Com sua ausência, vemos poucos atletas capazes de desempenharem a função que, em muitos momentos, não foi priorizada por Fernando Diniz.

Com um time que trabalhava mais com a bola no pé e criava no campo de ataque, trocando passes, um ponta veloz não era prioridade da equipe montada pelo ex-treinador do São Paulo, o que causou essa deficiência no elenco, uma vez que Paulinho e Rojas seriam praticamente as únicas opções para aumentar a agilidade e leveza da equipe.

E há de ser ressaltado o fato de que, quando utilizados, raramente obedeciam a uma tática que os permitia imprimir velocidade e apostar em seus melhores atributos, já que Fernando Diniz dificilmente abria mão do seu estilo de jogo.

Uma das opções mais utilizadas para jogar pelas beiradas de campo é um jogador que muitas vezes também é utilizado numa função mais centralizada, o Vitor Bueno. O jogador esteve presente em 30 partidas das 33 jogadas pelo São Paulo no Brasileirão, enquanto Paulinho jogou apenas 13.

Vitor é um atleta um pouco menos veloz que Paulinho e Rojas, mas é mais técnico. Não é tanto um ponta de velocidade como os outros citados anteriormente, porém, quando escalado para essa função, raramente o esquema de Diniz o deixou desenvolver essa velocidade.

De fato, falta ao São Paulo mais opções de velocidade pelas beiradas, pontas com maior qualidade no drible e na rapidez, pontas que consigam, na corrida, superar as linhas de defesa adversária. Faltam jogadores que ofereçam um maior repertório de jogadas, algo que era pouco explorado por Fernando Diniz.

Paulinho Boia desfalca o São Paulo na partida contra o Ceará, nesta quarta-feira (10), às 21h, no Morumbi. O time será comandado pelo treinador Marcos Vizolli. Sua ausência destaca a falta de opções ou do uso de jogadores de velocidade, necessários caso o time pretenda romper com o estilo de Fernando Diniz.

*Sob a supervisão de Marcio Monteiro