Leomir de Souza elogia Abel Hernández: 'O Fluminense está fazendo uma grande contratação'

LANCE!
·3 minuto de leitura


De olho na disputa da Libertadores, o Fluminense segue reforçando seu elenco. O clube tem negociações avançados com o atacante Abel Hernández, do Internacional. Em entrevista ao jornalista Gerson Júnior, da "Rádio Brasil", o auxiliar e braço direito do técnico Abel Braga, Leomir de Souza, falou um pouco sobre as características do uruguaio e disse o que o jogador pode acrescentar ao elenco do Tricolor para a sequência da temporada.

> Confira a classificação do Campeonato Carioca


- Acho que o Fluminense está fazendo uma grande contratação. No Internacional, convivemos durante quatro meses e logo no começo o Abel teve uma contusão contra o Santos. No segundo ou terceiro jogo nosso. E quando ele voltou, já estava Yuri Alberto jogando muito bem, fazendo gol e o próprio Galhardo com algum probleminha não pode participar. Então, quando o Abel voltou, ele perdeu espaço, mas sempre se demonstrou um atleta perfeito em relação aos treinamentos e jogos. Jogador de área, mais centralizado - elogiou o profissional.

> Confira mais notícias sobre o Fluminense

Ao ser perguntado sobre um estilo de jogo com dois centroavantes, Leomir destacou que vai depender da opção do treinador Roger Machado. No entanto, em determinados momentos da partida, a equipe poderá utilizar dois jogadores mais centralizados na área para pressionara defesa adversária.

- Essa situação pode acontecer em um jogo ou outro. Depende do treinador, jogar com dois jogadores de área para pressionar o adversário, é uma possibilidade sim. No Inter de Abel Braga, jogava o Abel e o Galhardo, como era com o antigo treinador (Eduardo Coudet). O Galhardo sem a bola, voltava e ajudava um pouco mais para recompor no meio. Existem muitas situações, cada treinador tem uma maneira de pensar e escalar a sua equipe - analisou.

Com experiência em Libertadores e tendo disputado a Copa do Mundo de 2014 pelo Uruguai, Abel Hernández, de 30 anos, chega para trazer mais experiência ao grupo Tricolor. Para Leomir, a mescla com os jovens que estão se destacando no início da temporada é importante para o time chegar mais forte na competição continental e no Brasileirão.

- Em times de futebol você tem que ter uma mescla. O Fluminense está com uma garotada que é brincadeira. Todo menino que entra, joga bem, consegue ter bons jogos, tenho acompanhado. Mas tem a experiência do Fred, Nenê, Luccas Claro. E com certeza o Abel Hernández vai agregar com isso, experiência em Libertadores, disputou Copa do Mundo. Eu acho que só tem a ajudar o Fluminense nesses jogos importantes que vão ter pela frente com Libertadores e Brasileirão - salientou.

Inter - Abel Hernández
Inter - Abel Hernández

Abel Hernández é um atleta mais de área (Divulgação/Inter)

Ao analisar o grupo do Fluminense na Libertadores, o profissional afirmou que não existe jogo fácil e que o time terá que se preparar bem para fazer uma boa campanha. Vale lembrar que River Plate, da Argentina, Independente Santa Fé, da Colômbia, e o vencedor do confronto entre Bolivar e Jr Barranquila compõem o grupo do Tricolor.

- A gente sempre acompanha os clubes e com o Fluminense não é diferente. Sempre olho os meninos e agora estão fazendo uma boa mescla com os experientes. O Fluminense sempre foi assim. Em relação à Libertadores, o grupo do Fluminense está equilibrado. Não existe jogo fácil, Todo mundo está se preparando muito bem e tem seus observadores para olhar o adversário. Os clubes estão se preparando muito. Não vai ser fácil nem pra o Fluminense, nem para os outros brasileiros, tem que se preparar bem e espero que faça uma grande campanha dessa vez - destacou.

Por fim, ao ser perguntado sobre o próximo trabalho dele e do técnico Abel Braga, o auxiliar disse que a temporada ainda está no início e espera em breve voltar a trabalhar em uma grande equipe. Eles procuram novos desafios e excelentes objetivos.

- Estamos no começo de ano, tem muita coisa pela frente. Espero que a gente volte a trabalhar logo e eu particularmente não gosto de ficar muito tempo em casa. Estar trabalhando sempre é bom, desde que seja algo com expectativa boa, objetivos como título, Libertadores. O que tiver que acontecer, vai acontecer finalizou.