Leist fala em bandeira amarela na hora errada em Austin e lamenta: "Poderia ter ficado no top-10"

Redação GP
Grande Prêmio

Matheus Leist teve um final de corrida complicado neste domingo (24) em Austin. Após conseguir classificar em 12º, o brasileiro conseguiu um ritmo melhor na prova e até poderia chegar ao primeiro top-10 da carreira, mas ficou na mesma estratégia de Will Power e Alexander Rossi e, assim, foi jogado para o fundo do pelotão com a bandeira amarela causada por James Hinchcliffe e Felix Rosenqvist.

O brasileiro começou lamentando a entrada da bandeira amarela na pior hora possível e falou dos altos e baixos que teve na corrida em relação ao ritmo da Foyt.

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

“Definitivamente, não foi a maneira que queríamos terminar a corrida no Circuito das Américas. Tivemos bom ritmo em parte da prova, em outra sofremos um pouco, mas no geral acabamos sendo prejudicados pela entrada da bandeira amarela no pior momento para nossa estratégia, que era igual a dos líderes", disse.

Matheus Leist teve um GP de Austin complicado (Foto: IndyCar)




Segundo Leist, a entrada do safety-car minou mesmo qualquer possibilidade de reação. Após o último pit-stop, ainda sob bandeira amarela, Matheus foi para o fundo do pelotão, na frente apenas dos retardatários.

"Poderíamos terminar no top-10, mas não havia nada que pudéssemos fazer com o safety-car. Agora vamos ver se melhoramos o carro para ser mais rápidos para a próxima corrida”, completou Leist.


Ainda em busca do primeiro top-10 na Indy, Matheus vem em 23º no campeonato com 21 pontos.

Leia também