Leifert escreve texto 'em missão de paz' e nega acusações feitas por Casagrande

Casagrande e Marrocos trocam farpas pelas redes sociais (Reprodução/Instagram Reprodução/TV)


Um dia após ex-jogador Walter Casagrande escrever coluna com acusações em seu blog no "UOL", Tiago Leifert postou texto nas redes sociais nesta quinta-feira "em missão de paz" e negou que tenha desrespeitado superiores e que teria pedido a demissão do comentarista de uma revista da Editora Globo .

No texto, Leifert salienta que tem boa relação com os ex-chefes e que saiu da Globo em 2021 com as portas abertas. O jornalista pediu que Casagrande apresentasse provas das acusações de que teria tentado "prejudicar" e "ridicularizar" o ex-jogador. Leifert também ironizou o fato de Casagrande não ter tido homenagens oficiais da emissora na despedida.

- Escrevo esse texto em missão de paz. Casagrande: não te conheço direito, mal conversamos na vida, não temos nenhuma intimidade e por isso não tenho nem nunca tive seu telefone. Espero que chegue em você. O que você escreveu sobre mim na sua coluna não é verdade e você sabe. Eu nunca destratei nenhum chefe (deles eu tenho o telefone!), falo com todos e tenho relação ótima com todos. Quando saí da Globo ano passado, fui homenageado ao vivo no horário nobre (outra coisa que não temos em comum). Tanto é que estou lá no Esporte de novo! Me chamaram para voltar, estou na mesma redação e com a mesma turma. Se você tem alguma prova, data, hora, email, fico no aguardo - disse.

O ex-apresentador do Globo Esporte e do BBB argumentou que nunca teve gerência sobre a escala do ex-jogador e que eles participaram ao vivo do mesmo programa em poucas ocasiões.

- Eu nunca tentei te prejudicar, jamais faria isso com você ou qualquer pessoa. A história que você conta não tem sentido algum: você sempre foi o comentarista número 1 da Globo, sempre nas maiores viagens, nos melhores jogos, nunca ninguém te prejudicou. E nós não trabalhamos juntos, certo? Eu nunca tive nenhuma ingerência sobre sua escala ou de qualquer narrador ou comentarista, nunca fui chefe de redação, nunca fui diretor. Mal nos encontramos, mal nos falamos, nunca sequer estivemos em uma sala de reunião juntos, se dividimos um “ao vivo” 3x na vida foi muito. Você não fez e não faz parte de nada da minha carreira, nem eu da sua - disse.

Leifert ainda abordou a acusação feita por Casagrande de que o jornalista teria pedido a demissão dele da revista 'GQ', da Editora Globo. O atual narrador reiterou as divergências no futebol ou fora dele e reforçou que as acusações de Casão sobre ele são falsas.

- A revista que você citou eu saí porque quis em 2018 e você não fez parte da decisão. Aliás, me dou tão bem com o pessoal lá que fui capa ano passado e eleito homem do ano na categoria televisão. Nós discordamos em várias coisas sobre a vida e a bola, e isso é do jogo. Você acha que não precisamos do Neymar para o Hexa, eu discordo bastante, e ambos vocalizamos isso. É a bola! Faz parte da resenha esportiva. Temos outras discordâncias, supernormal. De resto, o que você escreveu de mim é falso, numa prática que me parece ser o oposto de tudo que você prega - concluiu.

O L! entrou em contato com a revista "GQ" e a "TV Globo" em busca de um posicionamento das empresas sobre o tema. Em caso de retorno, este conteúdo será atualizado.