Leeds bane torcedor que zombou da tragédia de Hillsborough

Provocação de torcedor do Leeds foi feita antes do confronto contra o Liverpool. Foto: Andrew Powell/Liverpool FC via Getty Images
Provocação de torcedor do Leeds foi feita antes do confronto contra o Liverpool. Foto: Andrew Powell/Liverpool FC via Getty Images

Um torcedor do Leeds que zombou abertamente do desastre de Hillsborough em Liverpool antes da partida entre as duas equipes no fim de semana passado foi banido para sempre pelo clube de Yorkshire.

Um tweet com as palavras 'Victim FC', juntamente com uma imagem mostrando um torcedor segurando o jornal The Sun do lado de fora da estação Liverpool Lime Street, circulou nas mídias sociais antes do jogo.

Leia também:

Desde então, o Twitter excluiu a postagem e removeu a conta em questão de suas plataformas. Acredita-se que os comissários identificaram o indivíduo do lado de fora do estádio antes do jogo e o impediram de entrar em Anfield, antes de ser preso.

Depois que inúmeras reclamações foram apresentadas ao Leeds United Football Club, agora surgiu que o torcedor foi proibido de assistir a todos os futuros jogos do Leeds como resultado de seu comportamento vil.

Um e-mail do Leeds United FC vazou nas redes sociais, condenando o indivíduo por seu comportamento e confirmando que ele havia sido punido.

Na terça-feira, a Football Association divulgou um comunicado sobre o aumento dos cânticos e abusos “abomináveis” relacionados a Hillsborough nas partidas.

“Estamos muito preocupados com o aumento de cânticos abomináveis ​​nos estádios relacionados ao desastre de Hillsborough e outras tragédias relacionadas ao futebol”, disse um porta-voz da FA.

“Esses cânticos são altamente ofensivos e profundamente perturbadores para as famílias, amigos e comunidades que foram impactados por esses eventos devastadores, e condenamos fortemente esse comportamento. Apoiamos clubes e torcedores que tentam eliminar esse comportamento do nosso jogo”, seguiu.

O deputado trabalhista Ian Byrne, ele próprio um sobrevivente da tragédia de 1989, disse em uma carta à Premier League na semana passada que tais cânticos se tornaram "incessantes" e uma "ocorrência semanal" em jogos envolvendo o Liverpool.