Magnata do futebol chinês diz que país precisa desenvolver categorias de base

Pequim, 23 mar (EFE).- O presidente da companhia Wanda, Wang Jianlin, dono de 20% do Atlético de Madrid, afirmou nesta quinta-feira que a China ainda precisa desenvolver muito as categorias de base para que o país se torne uma potência do futebol.

Em uma entrevista à agência oficial "Xinhua" sobre a modalidade, Wang previu que é preciso 1 milhão de jovens chineses praticando futebol para que a seleção do país tenha um nível suficiente para competir em um bom nível dentro da Ásia.

O empresário destacou também a visão de longo prazo. Mesmo que não haja resultados imediatos desse investimento nas categorias de base, Jianlin disse que é preciso desenvolver uma liga "industrializada", o que garanta a cada ano a chegada de jogadores jovens de qualidade.

"Nunca é tarde demais para tomar ações concretas para desenvolver instalações esportivas, promover a participação de jovens e organizar partidas juvenis", afirmou Wang na entrevista.

O magnata reconheceu que o maior problema do futebol chinês é a qualidade da seleção do país, que hoje não se classificaria para a Copa do Mundo de 2018, e destacou que tenta atenuar isso com a Copa da China, um torneio Fifa criado e financiado por Wanda.

A primeira edição da competição foi disputada em janeiro, com participação de China, Islândia, Croácia e Chile, que acabou levando o título. Segundo Wang, essa foi uma boa oportunidade de a seleção chinesa aprender jogando contra adversários de qualidade.

Outro projeto no qual Wanda trabalha para ajudar a melhorar o futebol chinês é um programa de jovens promessas patrocinado por ele. O empresário financiou a estadia de 180 jovens chineses a centros de treinamento da Espanha desde 2011.

O programa custa 100 milhões de iaunes por ano (US$ 14,5 milhões), mas Wang calcula que apenas dois dos jovens que participaram da iniciativa acabarão jogando profissionalmente no Campeonato Chinês.

"Se o projeto for mantido pelos próximos dez anos, tem potencial para produzir jovens promessas capazes de jogar em ligas europeias, e, inclusive, pela seleção chinesa", previu Wang.

O magnata é considerado dos pais do futebol profissional chinês nascido a partir dos anos 1990, já que na época era o dono da melhor equipe do Campeonato Chinês, o Dalian Wanda. EFE