Lazio tem sanções ampliadas por não cumprir protocolo para covid-19

·1 minuto de leitura
O presidente da Lazio Claudio Lotito foi suspenso por 12 meses

Claudio Lotito, presidente da Lazio, teve sua sanção estendida para doze meses em vez de sete, enquanto seu clube terá que pagar uma multa de 200.000 euros por infrações à legislação sobre a covid-19, anunciou a Federação Italiana de Futebol (FIGC) nesta sexta-feira.

A Lazio apelou das primeiras sanções, quando Lotito foi suspenso por sete meses e o clube foi condenado a pagar 150.000 euros, emitida em 26 de março.

As sanções iniciais de doze meses de suspensão para os médicos do clube Ivo Pulcini e Fábio Rodia foram confirmadas nesta sexta-feira.

A FIGC abriu uma investigação após os testes positivos para covid-19 detectados em outubro e novembro.

Os líderes da Lazio foram acusados de não ter avisado as autoridades de saúde locais após oito testes positivos de membros do clube (sem distinção entre jogadores e comissão técnica) antes de uma partida da Liga dos Campeões no final de outubro contra o Brugge e novamente no início de novembro na mesma competição contra o Zenit de São Petersburgo.

Pelo menos um jogador do clube romano testou positivo nos exames realizados pela Uefa, mas teve um resultado negativo no mesmo período nos testes realizados na Serie A.

Além disso, a federação criticou o clube por "não ter impedido" três jogadores de participarem de um treino no dia 3 de novembro, quando tinham testado positivo na véspera. Dois outros jogadores foram escalados na Serie A quando tiveram que cumprir "um período de isolamento obrigatório de pelo menos dez dias, na ausência de sintomas".

ea/dj/jld/pm/aam