Laver Cup: por que evento causa tanta empolgação e como Roger Federer é importante mesmo sem jogar

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·4 minuto de leitura
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

Cancelada em 2020 devido à pandemia, a Laver Cup está de volta em sua quarta edição colocando frente a frente os melhores tenistas na Europa contra os do "resto" do mundo. Apesar da ausência completa do "Big 3", formado por Roger Federer, Rafael Nadal e Novak Djokovic, o evento mantém seu prestígio e chama a atenção do público para os próximos três dias de competição em Boston, nos Estados Unidos.

O evento de tênis disputado anualmente reúne algumas das maiores estrelas da modalidade, numa disputa peculiar. Ao invés de defenderem as bandeiras de seus países, na Laver Cup os atletas são divididos em dois times: Europa versus Mundo. Criada em 2017, a competição é uma homenagem a Rod Laver, que foi por muito tempo considerado o melhor tenista da história. O australiano ganhou 11 títulos de Grand Slam em sua carreira, marcando época ao vencer os todos no mesmo anos em duas ocasiões.

Uma das inspirações para o formato inusitado da Laver Cup é a Ryder Cup, torneio de golfe realizado a cada dois anos, e que coloca frente a frente o time Europa contra o time Estados Unidos.

Reconhecida pela ATP como um evento sancionado, a Laver Cup teve a primeira edição realizada em Praga, a segunda em Chicago, e a terceira em Genebra. O torneio é disputado em piso duro e ginásio coberto, e outra característica marcante é o fato de que a quadra é pintada de preto, algo incomum no circuito mundial de tênis.

Cada equipe tem sete atletas, sendo seis titulares e um reserva, além de um capitão. Três tenistas garantem a convocação mediante ranking mundial publicado na segunda-feira após Roland Garros. As outras três escolhas são feitas por cada capitão, que anunciam a decisão na abertura do US Open.

Desde a primeira edição, o time Europa é capitaneado por Bjorn Borg, e a equipe Mundo por John McEnroe, dois grandes nomes do tênis mundial no século passado.

Idealizado por Federer

A Laver Cup é promovida pela Team8, agência de marketing esportivo comandada em parceria pelo empresário Tony Godsick e Roger Federer, o tênista suíço dono de 20 títulos de Grand Slams. Pela primeira vez, Federer não poderá disputar a competição.

Em casa, na Suíça, ele se recupera de uma cirurgia no joelho, mas confessa que sente falta da competição:

— Vou sentir falta porque me diverti muito em Genebra, Praga e Chicago, mas já entrei em contato com Thomas Enqvist, técnico da Europa, e com certeza vou ligar para Bjorn e John (McEnroe) para me certificar que está tudo bem — afirma o atleta de 40 anos.

Apesar de seguir vivo no circuito e ainda não ter uma data para a aposentadoria, o suíço revelou que um de seus planos para o pós-carreira é ser capitão da Laver Cup:

— Me encantaria ser capitão algum dia. Creio que é uma forma bonita de conseguir que os rivais convivam juntos durante uma semana — afirma Federer. — No nosso esporte não há uma plataforma grande o suficiente para antigos grandes jogadores e lendas. Se olharmos para o golfe, têm uma forma muito boa de lidar com isso. Antigos jogadores estão sempre por perto, dando conselhos aos mais novos. Ter um evento como a Laver Cup é para colocar o holofote numa lenda como Rod Laver e muitos outros que abriram caminho para nós — conclui.

Formato de disputa

São 12 partidas jogadas em três dias de competição (sexta (24), sábado (25) e domingo (26)), sendo nove em simples e três em duplas. No primeiro dia, cada vitória valerá um ponto na competição geral. No sábado, a pontuação passa para dois por cada triunfo, e chega a três pontos no último dia.

Todas as partidas são disputadas em melhor de três sets, sendo dois sets padrão e um terceiro de desempate, jogado em formato de match-tiebreak (até 10 pontos ou vantagem de dois após o 9 a 9).

Cada atleta deve competir em ao menos um jogo de simples nos dois primeiros dias. Porém, um jogador não pode ter mais que dois duelos individuais durante toda a competição. Já nas duplas, Nas duplas, cada equipe deverá ter pelo menos quatro representantes, sendo que apenas uma das parcerias poderá ser repetida em caso de um eventual empate após as 12 partidas do torneio. Neste caso, é realizado um novo jogo de duplas no domingo, que definirá a equipe campeã.

O primeiro time a conquistar 13 pontos vence o torneio. A partida de abertura acontece nesta sexta-feira, às 14h (horário de Brasília), entre Casper Ruud (Time Europa) e Reily Opelka (Time Mundo).

Equipe Europa: Daniil Medvedev (RUS, 2º do ranking), Stefanos Tsitsipas (GRE, 3º), Alexander Zverev (ALE, 4º), Andrey Rublev (RUS, 5º), Mateo Berrettini (ITA, 7º), Casper Ruud (NOR, 10º). Suplente: Feliciano Lopez (ESP, 110º). Capitão: Björn Borg (SUE).

Equipe Mundo: Félix Auger-Aliassime (CAN, 11º), Denis Shapovalov (CAN, 12º), Diego Schwartzman (ARG, 15º), Reily Opelka (EUA, 19º), John Isner (EUA, 22º), Nick Kyrgios (AUS, 95º). Substituto: Jack Sock (EUA, 164º). Capitão: John McEnroe (EUA).

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos