"Lauda está em meu espírito", diz Hamilton um ano após morte do ex-piloto

AFP
Hamilton com Lauda em 2017 durante o GP de Suzuka, no Japão
Hamilton com Lauda em 2017 durante o GP de Suzuka, no Japão

O seis vezes campeão mundial de Fórmula 1, o piloto britânico Lewis Hamilton, disse nesta quarta-feira que Niki Lauda, a lenda austríaca do esporte, que morreu há um ano, está presente em seu "espírito" em todas as corridas.

Lauda, que foi tricampeão mundial de F1 (1975, 1977 e 1984), morreu no dia 20 de maio de 2019 aos 70 anos, nove meses após ter sido submetido a um transplante de pulmão.

O austríaco, presidente não executivo da equipe Mercedes, desempenhou um papel fundamental em convencer Hamilton a deixar a Mclaren, onde ele havia sido campeão mundial em 2008, para se juntar à Mercedes em 2013. Desde então, o britânico conquistou outros cinco títulos (2014, 2015, 2017, 2018 e 2019).

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

"Niki me convenceu a fazer parte de uma equipe que, naquela época, tinha potencial para ter sucesso. Eu o reconheço e sempre o amarei", disse Hamilton em um vídeo divulgado quarta-feira.

"Está no meu espírito em todas as corridas. As melhores lembranças que tenho são provavelmente de nossas primeiras conversas. Começamos a conversar em 2012 e lembro de receber uma ligação de Niki. Ele estava tentando me convencer a fazer parte da equipe", acrescentou.

"Foi ótimo receber uma ligação de um campeão mundial e ícone como Niki", acrescentou

Leia também