Lateral do Barça cita Lula e diz que atletas devem pagar mais taxas

Hector Bellerín, lateral-direito do Barça, falou sobre respeitar diferenças, como nas eleições do Brasil, e pediu posicionamento de atletas.
Hector Bellerín, lateral-direito do Barça, falou sobre respeitar diferenças, como nas eleições do Brasil, e pediu posicionamento de atletas. Foto: (Francisco Macia/Quality Sport Images/Getty Images)

Lateral-direito conhecido por ser consciente em relação à diferença de classes sociais, o espanhol Hector Bellerín, do Barça, prestou uma entrevista importante nesta semana, onde falou, dentre vários temas, sobre as eleições no Brasil e pediu que os jogadores de futebol tenham mais presença em temas sociais.

No contato cedido ao jornal da Catalunha DiariARA, Bellerín iniciou pedindo que os atletas possam ver além de suas realidades atuais: "Cabe a nós fazer o que quisermos. O problema é que sempre fomos capazes de fazer isso. Os pontos de vista são diferentes: no Brasil, alguns foram com Bolsonaro, outros com Lula. É normal que haja diversidade. Desde que a pessoa seja consciente e tolerante, acho saudável fazer um debate. Os jogadores de futebol devem saber se posicionar, mas se transmitirmos opiniões, elas devem ser fundamentadas. E gostaria que fosse por entender e evitar posições egoístas".

Leia também:

Sobre as questões de impostos, que atingem muitos atletas, que buscam sonegá-los, o espanhol disse que: "Jogadores de futebol são as pessoas que mais deveriam pagar impostos. Nós estamos em uma posição muito privilegiada. Os jogadores estão perdendo o contato com o público, e isso não acontecia antes. Estão desumanizados, vivendo numa bolha. Somos os que recebem mais ao final do mês. Eu venho de uma família que fazia milagres para poder comer ao final do mês. Todos querem receber mais, estar confortável, mas acho que tens de olhar para a tua situação, para a sociedade, para os que estão em situações precárias. Somos muito privilegiados. Trabalhámos para isso e temos de fazer muitos sacrifícios, mas temos de ter consciência daquilo que temos, de onde viemos, devíamos ser os primeiros a ajudar a estabilizar a sociedade. Mas percebo que alguns colegas meus pensem de forma diferente".

Com 27 anos de idade, Bellerín nasceu em Barcelona e atuou pelo clube nas categorias de base, mas jogou pelo clube como profissional apenas na última temporada. Por nove anos de sua carreira, ele foi do Arsenal, onde terminou a sua formação.