Lateral da Seleção destaca o peso da camisa 6 e minimiza favoritismo na Copa: 'Coisa da imprensa'

Alex Sandro será o lateral-esquerdo titular do Brasil na estreia da Copa do Mundo (Lucas Figueiredo/CBF)


Titular da lateral-esquerda do Brasil, Alex Sandro terá a missão de honrar uma posição que tem muita representatividade nos títulos de Copa do Mundo conquistados pela Seleção. Nilton Santos, Branco e mais recentemente Roberto Carlos, possuem status de ídolos nacionais. O jogador comentou sobre a responsabilidade e o peso que representa a camisa 6.

- Eu tenho todos esses jogadores e mas alguns outros como espelho. Eu sei o peso que é vestir a camisa de número 6 da Seleção Brasileira, o quanto foi importante na história do Brasil. Bem, vou dar o meu melhor, espero que eu possa fazer ou chegar perto de fazer história como eles fizeram.

+ Na Copa com a Seleção, Bruno Guimarães diz viver auge dentro e fora de campo: 'Melhor momento'

Quanto ao favoritismo do Brasil no Qatar, Alex Sandro despistou, assim como não deu pistas sobre a equipe titular que vai enfrentar a Sérvia, na estreia da Copa do Mundo.

- Nós nos sentimos mais prontos, preparados, do que favoritos. Acho que o favoritismo é coisa da imprensa e dos torcedores. Nós estamos focados no nosso trabalho. Estamos contentes com a nossa preparação. Foram dias importantes. Eu também estou curioso com a escalação (risos), mas com certeza quem for para o campo vai dar o melhor de si.

+ A Copa do Mundo começou! Confira os jogos desta segunda-feira

O Brasil entra em campo na quinta-feira, às 16h, contra a Sérvia e Alex Sandro revelou o que faz para controlar a ansiedade.

- Primeiramente, antes dos jogos temos as nossas reuniões, nossas análises, nossos treinamentos. Também foco muito no descanso, foco muito em ficar tranquilo, porque querendo ou não, estreia de Copa do Mundo e jogos importantes, dá uma mexida no nosso emocional. então eu procuro ficar mais na minha e me concentrar no jogo.

A Seleção Brasileira volta a treinar nesta segunda-feira, às 10h30 (horário de Brasília). Depois da Sérvia, o Brasil enfrenta a Suíça e fecha a participação no Grupo G contra Camarões.