Latam pode demitir 700 pilotos no Brasil, diz sindicato dos aeronautas

Yahoo Finanças
(Foto: MARTIN BERNETTI/AFP via Getty Images)
(Foto: MARTIN BERNETTI/AFP via Getty Images)

A Latam pode demitir pelo menos 700 pilotos no Brasil. Segundo informações do Sindicato Nacional dos Aeronautas (SNA), a companhia aérea planeja reduzir em cerca de 30% suas operações no país.

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 min e receba todos os seus emails em 1 só lugar

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

Siga o Yahoo Finanças no Google News

No mês passado, a Latam entrou com um pedido de recuperação judicial nos Estados Unidos e no Chile, mas ele não abrange as operações no Brasil, que representam 50% do grupo. Procurada, a empresa não confirma as previsões de demissão, mas afirma que está em negociação com os sindicatos.

Leia também

De acordo com a apresentação, a Latam avalia que sairá da crise com operação um terço menor e que será preciso encolher permanentemente o quadro de pilotos em 34% para se ajustar à previsão de demanda para 2022. Com isso, passaria dos atuais 2.043 profissionais para 1.043 no início de 2022.

Os próximos meses também não devem ajudar. A julgar pela previsão de demanda, ela teria um excedente de 84% do quadro atual, em razão da queda do número de voos e da mudança de hábitos decorrentes da crise do coronavírus.

O tempo necessário para integrar um novo piloto, que pode chegar a quatro meses, considerando exames e treinamentos obrigatórios, deve segurar o número de cortes para a profissão.

No caso dos comissários, o cenário previsto indica a necessidade de corte de 41% até 2022, o equivalente a menos 2.058 profissionais. Hoje, a companhia tem 4.965 comissários.

Gol também terá cortes nos próximos meses

Funcionários da companhia aérea Gol aprovaram nesta quinta-feira (4) proposta de acordo coletivo que inclui a possibilidade de adesão a programas voluntários de licença não remunerada, demissão (PDV), aposentadoria ou "part-time" (com redução 50% de jornada e salário).

*Com informações da Agência O Globo

Siga o Yahoo Finanças no Instagram, Facebook, Twitter e YouTube e aproveite para se logar e deixar aqui abaixo o seu comentário.

Leia também