'Lamentamos esta situação e condenamos o racismo', diz técnico do Valencia após acusação de Diakhaby

LANCE!
·2 minuto de leitura


O técnico Javi Gracia, do Valencia, comentou sobre a acusação de racismo do zagueiro Diakhaby após a derrota para o Cadiz, neste domingo, pelo Campeonato Espanhol. Segundo o comandante valenciano, o defensor estava muito chateado, mas encorajou a equipe a voltar ao campo.

+ Veja a tabela da La Liga


- O incidente aconteceu no primeiro tempo. Diakhaby ficou muito chateado e ficamos sabendo que ele havia sido seriamente insultado. Ele estava muito nervoso. Quando ele nos contou o insulto, dissemos ao árbitro que não concordávamos com isso e que estávamos desistindo do jogo. No vestiário nos disseram que seríamos punidos se não voltássemos a campo e conversamos com Diakhaby como ele estava - disse Javi Gracia, que completou:

- Ele nos disse que não estava em condição de jogar, mas que entendeu que deveríamos continuar jogando ante a possível punição e voltamos com a intenção de conquistar a vitória, com mais um motivo para lutar pela vitória. O árbitro não teve nenhum registro do que aconteceu, ele não ouviu nada. Diante dessa situação, ele se viu obrigado a dar continuidade ao jogo. Lamentamos muito esta situação e aproveitamos para condenar o racismo.

+ Puma lança nova chuteira para Neymar. Veja fotos em galeria!

Cadiz x Valencia - Acusação de racismo de Mouctar Diakhaby a Juan Cala
Cadiz x Valencia - Acusação de racismo de Mouctar Diakhaby a Juan Cala

Diakhaby ficou furioso após desentendimento com Juan Cala, do Cadiz (Foto: Divulgação / Site oficial do Valencia)

O treinador do Valencia disse que as palavras de Diakhaby para a equipe voltar a jogar foram determinantes. Caso o defensor não quisesse que seus companheiros continuassem, o clube enfrentaria os possíveis riscos de punição por ele. Uma homenagem também estava pronta se os 'Che' vencessem.

- O que mais me preocupou foi o estado do meu jogador. Se ele tivesse dito que não achava que deveríamos jogar, não teríamos jogado mesmo correndo o risco de punição. Quando ele disse para voltar, fui forçado a tomar a decisão de continuar jogando. Voltamos com a camisa do Diakhaby no banco e com a intenção de dedicar a vitória a ele - disse Javi Gracia.