L! detalha possíveis cenários para o encerramento da temporada europeia

João Marcos Santana*
LANCE!


A escalada do coronavírus pelo mundo trouxe sequelas no futebol. A pandemia, que teve seu início na Ásia, se alastrou pela Europa e interrompeu a maioria das competições no Velho Continente. Todas as seis principais ligas nacionais (Alemanha, Espanha, França, Inglaterra, Itália e Portugal), além das duas competições continentais (Liga dos Campeões e Liga Europa), não sabem como chegarão ao final.

Na última terça-feira (17), a Uefa decidiu pelo adiamento da Eurocopa para o próximo ano. Com esta decisão, o calendário europeu vê uma brecha para uma possível resolução dos jogos. A princípio, antes do surto se espalhar, os campeonatos domésticos teriam seus fins no início de maio e a temporada seria finalizada nos últimos dias do mês, com as finais da Liga Europa e Liga dos Campeões. A partir daí as seleções começariam a se preparar para a Euro, entre 12 de junho e 12 de julho, já com todos os jogadores liberados pelos seus respectivos clubes.

Diante da impossibilidade da continuação dos jogos e com o cancelamento da Eurocopa em 2020, a solução seria esticar as competições até o fim de junho e, assim, terminar a temporada no Velho Continente. Porém, para isso, a doença precisaria ser minimante controlada para que o futebol pudesse voltar à ativa. E é aí onde mora o problema. Hoje não há nenhuma projeção para que os números de coronavírus diminuam na Europa.

Tudo está no campo da especulação, como por exemplo terminar a atual temporada e quem é líder em sua liga seria declarado campeão. Obviamente, tal decisão não é vista com bons olhos pela maioria. Na Espanha, Barcelona e Real Madrid disputam o título rodada a rodada e apenas dois pontos separam as equipes. Outra ideia seria cancelar totalmente esta época e recomeçar a partir de agosto. Este ponto não seria bem visto pelo Liverpool, virtual campeão inglês e 25 pontos à frente do vice-líder.






O LANCE! entrou em contato com o jornalista alemão Kai Schiller, que explicou a situação na Europa e mostrou como os dirigentes pensam a respeito da continuidade do futebol após o COVID-19 ser controlado no continente.

– Não é possível responder todas as perguntas, porque no fim ninguém sabe o que vai acontecer. Aqui na Alemanha a situação é muito grave, assim como na Itália, Áustria, Espanha, França... e quase todos os países europeus. Na Alemanha a maior importância é que se volte a jogar. Os clubes vão tentar de qualquer maneira tentar voltar a jogar no verão. Ninguém pensa por aqui que os clubes vão voltar a jogar em abril. Somente a partir de maio e até junho. O que podemos garantir é que os jogos serão sem público, isto é claro. Este é o melhor cenário – explicou o jornalista alemão.

No entanto, esta situação seria uma utopia. O desejo, é claro, é que seja desta forma e assim o prejuízo seria amenizado. Porém, de acordo com Kai, é preciso olhar o outro lado da moeda.

– O pior cenário é que não se jogue mais na atual temporada e desta forma as consequências seriam péssimas. Alguns clubes aqui da Alemanha poderiam fechar as portas. A explicação é que o dinheiro da televisão é a maior fonte de renda dos clubes. E sem jogo, os clubes não arrecadam. Isto seria horrível porque poderia não existir mais futebol profissionalmente na Alemanha e também na Europa – completou.

Caso nenhuma das opções seja adotada, uma outra hipótese seria o retorno quando tudo estivesse normalizado e jogar sem pressa de terminar. No entanto, outra questão seria um empecilho. Muitos jogadores terminam seus contratos no dia 30 de junho. Ou seja, caso as partidas demorem a voltar e isso faça com que os times disputem jogos no mês de julho, alguns clubes poderiam perder jogadores importantes.

– Sobre ter jogos depois de junho é uma questão interessante. Por enquanto os clubes não pensam nesta possibilidade. A ideia é que tudo seja resolvido até junho. Caso não seja possível, os clubes vão conversar com os advogados a possibilidade de prolongar os contratos por mais um mês, mas provavelmente vai ser difícil – finalizou Schiller.

VEJA A SITUAÇÃO DOS CAMPEONATOS NA EUROPA

ALEMANHA:

Bayern de Munique líder, com 55 pontos; Borussia Dortmund vice-líder, com 51 pontos; e RB Leipzig em terceiro, com 50 pontos. Na parte de baixo da tabela, Düsseldorf, Werder Bremen e Paderborn estão na zona de rebaixamento.

ESPANHA: Barcelona líder, com 58 pontos; e Real Madrid vice-líder, com 56 pontos. Na parte de baixo da tabela, Mallorca, Leganés e Espanyol estão na zona de rebaixamento.

FRANÇA: Paris Saint-Germain líder, com 68 pontos; e Olympique de Marselha vice-lider, com 56 pontos. Na parte de baixo da tabela, Nîmes, Amiens e Toulouse estão na zona de rebaixamento.

INGLATERRA: Liverpool líder, com 82 pontos; e Manchester City vice-líder, com 57 pontos. Na parte de baixo da tabela, Bournemouth, Aston Villa e Norwich estão na zona de rebaixamento.

ITÁLIA: Juventus líder, com 63 pontos; e Lazio vice-líder, com 62 pontos. Na parte de baixo da tabela, Lecce, SPAL e Brescia estão na zona de rebaixamento.

PORTUGAL: Porto líder, com 60 pontos; e Benfica vice-líder, com 59 pontos. Na parte de baixo da tabela, Portimonense e Aves estão na zona de rebaixamento.

Para ver as tabelas completas, clique aqui.

*Estagiário sob supervisão de Hugo Mirandela.


























Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

Leia também