Líder de assistências no Corinthians, Fagner tende a se beneficiar atuando com três zagueiros

Alexandre Guariglia
·3 minuto de leitura


O Corinthians entrou em campo no último domingo, para enfrentar o São Paulo, com um esquema diferente daquele que normalmente usa. Vagner Mancini adotou uma formação com três zagueiros e apesar do empate em 2 a 2, cedido já nos acréscimos, teve boa aceitação. Além de virar uma interessante alternativa, pode beneficiar Fagner, umas das principais armas do time.

TABELA
> Veja classificação e simulador da Copa Sul-Americana-2021 clicando aqui

GALERIA
> Cazares já foi! Veja quem deixou o Corinthians para a temporada 2021

A opção do treinador corintiano serviu para adicionar ao setor ofensivo mais tempo e participação daquele que talvez seja um dos melhores do elenco atuando perto da área adversária. Sem contar a sustentação que os três zagueiros deram para as descidas do lateral que, como ala, tem mais liberdade para chegar ao fundo e abastecer os homens de frente do Timão.

Foi assim que contra o São Paulo, ao receber passe em profundida de Luan, foi até a linha de fundo e cruzou para trás para Gustavo Mosquito balançar a rede de Tiago Volpi já na reta final da partida. Perguntado se esse novo esquema tende a potencializar as qualidades de Fagner, Vagner Mancini teceu elogios ao seu atleta e explicou o que pretende fazer com essa mudança para o lateral.

- Eu acho que tem tudo pra potencializar, sim. O Fagner foi meu atleta em 2010, no Vasco, e tinha um pouco de dificuldade na marcação. Ao longo do tempo ele evoluiu muito, demais, e hoje ele é um grande marcado, talvez o melhor marcador dessa função que jogue no futebol brasileiro, mas ele também é extremamente importante na parte ofensiva, porque tem bons passes, chega no fundo com facilidade, então talvez seja o momento de dar pra ele a possibilidade de atuar de uma forma diferente - comentou o treinador.

Atualmente, Fagner é o principal responsável do elenco por dar assistências para seus companheiros. No ano de 2021 ele já tem três, todas elas para Gustavo Mosquito: contra o Athletico-PR, o Mirassol e o São Paulo. Nenhum outro colega alvinegro tem esse número no ano. Levando em conta somente a temporada 2020, ele deu nove passes para gol e liderou o elenco no quesito.

- O Fagner, do meio para frente, é muito interessante e todo mudo sabe disso, tanto é que no lance do segundo gol ele entra com uma frieza muito grande, da o passe na medida certa. Então, nós temos dentro desse sistema a garantia não só dele, mas com o Piton, que jogou hoje pelo lado esquerdo, e o Fabio Santos, que também sabe atuar dessa forma, uma situação de acréscimo ao esquema que foi escolhido pra noite de hoje (domingo) - afirmou Mancini após o clássico.

Em resumo, o esquema com três zagueiros não exige que Fagner se divida demais entre a marcação e as descidas ao ataque. Mais protegido e com mais liberdade, ele pode ficar mais tempo no campo ofensivo e perto da área, onde acrescenta um passe de qualidade acima da média, pronto para deixar os companheiros na cara do gol, o que já fazia em uma função mais recuada.