Léo Moura nega desconfiança e ressalta disputa sadia com Edílson

A chegada de Léo Moura no Grêmio não foi unanimidade entre os torcedores, uma vez que o jogador de 38 anos está mais próximo do final da carreira do que do auge. O lateral direito, no entanto, vem provando que pode ser uma peça importante no elenco tricolor, não só pela experiência, mas também pela qualidade técnica mostrado nos treinos e nos jogos.

“Desde que eu cheguei aqui, eu sempre deixei claro que daria a resposta dentro de campo. Se hoje eu estou aqui no Grêmio é porque o Grêmio confia no meu trabalho. A única forma que eu tinha era entrar dentro de campo e jogar o meu futebol e graças à Deus as pessoas estão vendo que está dando certo”, avaliou.

 

 

A lateral direta gremista tinha um titular absoluto desde a chegada de Renato Portaluppi ao comando do time: Edílson. O dono da posição, entretanto, sofreu uma lesão e precisou ser substituído por Léo Moura, que aproveitou bem a oportunidade e colocou uma dúvida na cabeça no técnico. Léo, no entanto, garante que a disputa por posição com Edílson é sadia.

“Eu sempre vou respeitar o companheiro de equipe, mas sempre vou buscar o meu espaço. A gente sabe que o Edílson é um grande jogador, que não precisa mais provar nada para ninguém aqui no Grêmio. Mas o futebol é oportunidade e a oportunidade precisa ser agarrada quando é dada. A disputa vai ser sempre sadia”, declarou.

Experiente em Libertadores, Léo Moura evita manter expectativas altas com relação ao desempenho do Grêmio na competição e prefere não falar em título, mas ressalta a união entre os jogadores do elenco como característica decisiva para uma boa campanha do Grêmio na competição continental.

“Dizer que vai ser campeão é difícil no início da competição, mas eu posso dizer que o Grêmio está preparado, tem um time muito forte. O Grêmio é uma equipe que não tem muita estrela, mas que trabalha bastante, um companheiro ajuda o outro. Isso com certeza vai fazer a diferença na Libertadores”, concluiu.