Léo faz 21 anos e agradece confiança do Fluminense: 'Família precisa de mim'

João Mércio Gomes 

Diferente de outras promessas do Fluminense, o lateral Léo não virou titular caindo nas graças da torcida logo de cara. O processo foi difícil e a posição era muito contestada pelos tricolores no ano passado. William Matheus e Giovanni, as peças em 2016 com Levir Culpi, saíram em janeiro e a diretoria buscou nomes para assumir a camisa 6. Entre negociações frustradas e a dificuldade de encontrar jogadores no mercado, a lateral-esquerda se encontrou em estado de abandono.

A solução veio por falta de opções. Léo retornou de empréstimo do Londrina, onde teve boa passagem, e herdou a vaga que sobrava. Em pouco tempo, se encaixou no sistema defensivo recém-formado e deu conta do recado. Foram seis jogos seguidos sem sofrer gols até a final da Taça Guanabara. Após a conquista, nos pênaltis contra o Flamengo, o camisa 15 abriu o coração.

- Nesse momento, vem as lembranças que passei pra chegar aqui. Tive que agarrar essa chance, minha família precisa de mim. Minha esposa, minha mãe, meu pai, meus irmãos. Tenho que dar a vida - desabafou o jogador.

A conquista no domingo serviu como presente de aniversário para Léo. Ele completou 21 anos, ontem, recebeu os parabéns do Flu e acredita está seguindo bom rumo na carreira.

- Deu tudo certo na campanha. Quando você coloca a medalha no peito, a taça na mão, é porque está no caminho certo - disse o jogador.








O Twitter oficial do clube o parabenizou e ainda brincou com lance em cima do volante Willian Arão, do Flamengo. Ao L!, o jogador falou que, nas decisões, precisa ser ousado em campo.

E MAIS: