Koeman deixa hospital após problema cardíaco: "Foi um choque"

Goal.com

Lenda como jogador e atual treinador da seleção da Holanda, Ronald Koeman foi levado às pressas para o hospital no último domingo e passou por uma cirurgia cardíaca, após sentir dores no peito enquanto fazia um passeio de bicicleta em Amsterdã com sua esposa. Apesar do susto, o ex-Barcelona agora passa bem falou pela primeira vez sobre o incidente após ser liberado do hospital.

"Foi um choque, no final de semana passado. Para mim, mas acima de tudo para minha família e amigos. Felizmente, os médicos me ajudaram rápido e com muita competência. Sou muito grato por isso. Você fica muito humilde após um evento como este”, escreveu o treinador em sua conta no Twitter.

"Foi ótimo ver quantas pessoas se comoveram. Sou grato por todas as mensagens doces de pessoas que conheço e de clubes, mas também de pessoas que nunca conheci. Isso me fortaleceu e sou muito grato por isso".

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

Mas além de agradecer por todo o apoio recebido, Koeman deixou claro que já se sente bem e que seguirá seu trabalho na seleção holandesa assim que o futebol retornar. Cabe destacar que o governo holandês proibiu todo e qualquer evento esportivo até o dia 1º de setembro e a Eredivisei foi cancelada.

"Neste momento, me sinto muito saudável. Isso significa que continuarei meu trabalho com força total, assim que a bola começar a rolar novamente. Novamente: obrigado por todo o apoio. Nos veremos em breve", completou.

Aos 57 anos, Koeman preparava sua equipe para a disputa da Eurocopa de 2020, que também foi adiada para 2021, o que também aconteceu com a Copa América e com os Jogos Olímpicos.

No comando da seleção holandesa desde 2018, o ídolo do Barcelona fez um bom trabalho levando a Holanda para a primeira final da Liga das Nações - que terminou com a anfitriã Portugal como campeã - e garantido a classificação para Euro 2020. 

Como jogador, Koeman foi um zagueiro de extrema qualidade e tinha a bola parada como sua principal arma. Inclusive, na final da Liga dos Campeões de 1991/92, ele fez um belo gol de falta, na prorrogação, que deu ao clube catalão seu primeiro título da competição europeia.

Leia também