Keno e Arana encerram o ano como as principais armas ofensivas do Galo

Valinor Conteúdo
·2 minuto de leitura


Uma das forças do Atlético-MG em 2020 foi o seu poderoso ataque, que já marcou 46 gols no Brasileiro, sendo o segundo melhor da competição. E, o setor mais produtivo do time foi o lado esquerdo em uma dobradinha que deu certo na equipe com o lateral-esquerdo Guilherme Arana, que chegou no início do ano, e Keno, vindo do futebol árabe pouco depois da chegada de Jorge Sampaoli ao alvinegro.

A dupla não começou jogando de imediato, pois Keno estava ainda entrando em forma física. Mas, assim que os dois foram tendo uma sequência de jogos, as boas atuações e gols surgiram.

Juntos, Keno e Arana foram responsáveis diretos por 22 dos 46 gols do Galo no campeonato. O atacante marcou dez vezes, além de ter dado seis assistências. Já o lateral foi às redes três vezes e deu passe para mais três gols.


O entrosamento veio a acontecer no Atlético-MG, mas a admiração já era mútua desde os tempos que eram rivais, com Keno defendendo o Palmeiras e Arana o Corinthians.

-A gente se conheceu muito rapidamente. É um cara contra quem já joguei, eu no Palmeiras e ele no Corinthians. É um jogador muito agudo. Quando cheguei aqui, a gente foi conversando e começou a concentrar junto-disse à TV Galo, que comentou também que a parceria se fortaleceu fora dos gramados.

CONFIRA COMO ESTÁ A CLASSIFICAÇÃO DA SÉRIE A

-A gente foi se entendendo melhor, falando como cada um gosta de jogar, atacar por dentro ou por fora. Isso é muito bom para se comunicar dentro de campo. Graças a Deus, a gente está fazendo um lado esquerdo muito bom. Que a gente possa acabar o Brasileiro nessa pegada-completou o atacante.

O Galo terá uma longa folga até voltar a campo. A equipe mineira joga no dia 11 de janeiro, às 20h, contra o Red Bull Bragantino, pela 29ª rodada do Campeonato Brasileiro,no estádio Nabi Abi Chedid, em Bragança Paulista, interior de São Paulo.

O Atlético-MG está na segunda colocação com 49 pontos, sete atrás do líder São Paulo. O Flamengo ocupa a terceira posição, com a mesma pontuação, mas perde nos critérios de desempate.