Kenenisa Bekele quer ser recordista mundial na Maratona de Berlim

·3 minuto de leitura


Bicampeão da Maratona de Berlim, Kenenisa Bekele, de 39 anos, quer mais que o terceiro título de uma das mais importantes maratonas do mundo. O etíope quer o recorde mundial no próximo dia 26.

Em 2019, ele não foi recordista por três segundos. No ano do seu bicampeonato na Maratona de Berlim, o etíope cruzou a linha de chegada no Portão de Brandemburgo com o tempo de 2h01m41s. Bekele não conseguiu superar a melhor marca da história, obtida pelo queniano Eliud Kipchoge, que, em 2018, fechou a prova alemã em 2h01m39s.

“Estou ansioso para a prova e todo meu treinamento foi tendo em mente o recorde mundial. Estou fazendo de tudo para garantir que minha preparação seja perfeita para esta conquista”, disse Bekele.

Bekele ficou a três segundos de recorde mundial em 2019

Essa será a quarta participação de Bekele na prova considerada ideal para quebras de recordes, Nas últimas 17 edições da Maratona de Berlim, o recorde da distância foi superado sete vezes. Desde que a prova foi criada, em 1974, foram 11 oportunidades, entre homens e mulheres.

A primeira participação de Bekele na Maratona de Berlim aconteceu em 2016. Naquele ano, ele venceu a prova em 2h03m03s, superando o tempo de Kipchoge, que, no ano anterior, marcou 2h04m00s. O recorde mundial, na época, pertencia ao queniano Dennis Kimetto, com 2h02m57s, obtido também em Berlim, em 2014. As outras duas vezes que Bekele correu em Berlim foram em 2017, quando abandonou a prova, e em 2019, quando foi bicampeão.

Se vencer mais uma vez em Berlim, Bekele se equipara a Kipchoge (2015, 2017 e 2018) e fica a um título do compatriota Haile Gebrselassie (2006, 2007, 2008 e 2009). Além de ser tetracampeão, a lenda etíope conseguiu quebrar o recorde mundial da maratona por duas vezes: 2h04m26s, em 2007, e 2h03m59s, em 2008.

A carreira de maratonista de Kenenisa Bekele não é tranquila. Ele não conseguiu terminar três de suas seis provas na distância, incluindo uma tentativa de bater o recorde mundial em Dubai e em Berlim, ambas provas em 2017.

Kenenisa Bekele é dono de três ouros olímpicos

O currículo de Bekele é extenso. Além de ser bicampeão da Maratona de Berlim, ele tem conquistas na pista e cross country, ele é o maior corredor de longa distância de todos os tempos. Foi campeão nos 5.000m nos Jogos Olímpicos de Pequim-2008 e no Campeonato Mundial de 2009. Nos 10.000m, foi ouro nas Olimpíadas de Atenas-2004 e de Pequim-2008, bem como nos Campeonatos Mundiais de 2003, 2005, 2007 e 2009. Além disso, ele ganhou onze medalhas de ouro no Mundial de Cross Country.

A carreira de maratonista de Kenenisa Bekele não é tranquila. Ele não conseguiu terminar três de suas seis corridas na distância, incluindo uma tentativa de bater o recorde mundial em Dubai e em Berlim, ambas em 2017.

Compatriotas são principais adversários de Bekele

O superastro da Etiópia terá dois compatriotas fortes entre seus rivais em Berlim. Guye Adola fez uma excelente estreia na maratona em 2017, com 2h03m46s. considerado recorde para um estreante em maratona. Outro etíope que surpreendeu muitos em sua estreia em maratona foi Olika Adugna. Ele venceu a Maratona de Dubai deste ano, sua estreia na distância, com 2h06m15s.

No feminino, a favorita pelo título é a etíope Hiwot Gebrekidan, que vai fazer sua estreia na prova alemã. Ela é a maratonista mais rápida do ano, após vencer a Maratona de Milão, com o recorde pessoal de 2h19m35s, em abril. Suas adversárias mais fortes são a queniana Pureza Rionoripo, com recorde pessoal de 2h20m39s, e a também etíope Shure Demise, com melhor tempo pessoal de 2h20m59s. (Iúri Totti)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos