Justiça italiana confirma sentença de prisão de Robinho por estupro

Redação Esportes
·1 minuto de leitura
Robinho treinou com o Santos antes de suspensão do contrato (Ivan Storti/Santos FC)
Robinho treinou com o Santos antes de suspensão do contrato (Ivan Storti/Santos FC)

A Corte de Apelação de Milão, na Itália, confirmou a sentença de nove anos de prisão ao atacante Robinho, atualmente sem clube, por crime de estupro. Os detalhes da decisão de dezembro do último ano foram revelados nesta terça (9).

>> Ouça o 'Segunda Bola', o podcast do Yahoo com Alexandre Praetzel e Jorge Nicola

De acordo com os documentos, foi sustentado que a pena deveria ser mantida devido à manifestação de "particular desprezo em relação à vítima, que foi brutalmente humilhada". Além disso, a corte afirma que o jogador tentou "enganar as investigações oferecendo aos investigadores uma versão dos fatos falsa e previamente combinada".

Leia também:

A decisão da corte também reforça a ideia de que a vítima, uma jovem albanesa, não tinha condições de se defender. "O ilustrado quadro probatório demonstra em modo inequívoco, segundo a corte, o total estado de inconsciência da pessoa ofendida", diz a decisão. 

Robinho e o também brasileiro Ricardo Falco foram julgados por cometer violência sexual em grupo contra uma jovem albanesa numa boate em Milão. O crime aconteceu no dia 22 de janeiro de 2013.

No ano passado, em outubro, o Santos chegou a fechar um contrato com Robinho, mas diante da repercussão negativa e da pressão de patrocinadores, clube e atleta suspenderam o acordo até o julgamento em segunda instância, que aconteceu em dezembro.